Busca avançada
Ano de início
Entree

Obtenção de ácido lático a partir de frutas não compatíveis com a comercialização

Processo: 12/17476-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2012
Vigência (Término): 30 de setembro de 2013
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Química
Pesquisador responsável:Saartje Hernalsteens
Beneficiário:Felipe Testa
Instituição-sede: Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas (ICAQF). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Diadema. Diadema , SP, Brasil
Assunto(s):Leguminosae   Banana   Engenharia bioquímica

Resumo

O ácido láctico é um produto químico versátil, cuja demanda vem crescendo impulsionada principalmente pela produção de polímeros biodegradáveis de ácido láctico, além dos solventes de lactato e diversos outros compostos obtidos a partir de moléculas de três carbonos. A produção microbiana de ácido lático exige a disponibilidade de fontes de carbono, nitrogênio, fósforo e outros micronutrientes. Em geral, a produção de ácido lático é considerada de alto custo, já que além do trabalhoso processo de purificação, é necessária uma fonte de carbono abundante (usualmente sacarose) e fontes de nitrogênio orgânico, na forma de peptonas e extratos (de levedura e de carne). A banana é uma fruta abundante no Brasil e que sofre grandes perdas durante todo o processo de comercialização, contendo aproximadamente 24% p.s. em carboidratos, principalmente amido, quando está verde, ou açúcares redutores, quando madura. O pseudo-caule da bananeira é composto pelas fibras celulósicas (10%) e uma seiva (90%), uma mistura complexa de carboidratos, taninos e sais de potássio, cálcio e magnésio, entre outros. O principal objetivo deste trabalho é estudar a produção microbiana de ácido láctico utilizando-se uma fonte de carbono alternativa: a banana e o pseudo-caule da bananeira (seiva e/ou seiva e fibra celulósica). Assim, o uso da banana descartada e o pseudo-caule da bananeira, também descartado, pode resultar na diminuição das despesas envolvidas na produção, devido ao menor custo dos substratos, uma etapa necessária visando a produção em larga escala de moléculas do tipo "commodity".