Busca avançada
Ano de início
Entree

Capacidade funcional de pacientes com obstrução crônica ao fluxo submetidos a treinamento com haste oscilatória.

Processo: 13/04760-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2013
Vigência (Término): 30 de junho de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Alexandre Ricardo Pepe Ambrozin
Beneficiário:Victória dos Santos Policeno Ferreira
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia e Ciências (FFC). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Marília. Marília , SP, Brasil
Assunto(s):Treinamento de força   Doença pulmonar obstrutiva crônica   Fisioterapia respiratória   Capacidade funcional

Resumo

A Doença Pulmonar Obstrutiva Crônico (DPOC) é caracterizada por obstrução crônica ao fluxo aéreo, redução da capacidade aeróbia, hiperinsuflação e alterações na mecânica ventilatória, levando a dispneia acentuada e uso da musculatura acessória. Estas alterações fazem com que os pacientes com DPOC apresentem aumento da demanda ventilatória levando ao sedentarismo crônico, descondicionamento e diminuição na qualidade de vida. Estes pacientes podem se beneficiar do treino de força e a haste oscilatória pode ser um recurso utilizado para este fim. Assim o objetivo desta pesquisa é avaliar os efeitos na capacidade funcional cardiorrespiratória de um programa de treinamento de força com Haste Oscilatória em pacientes com obstrução crônica ao fluxo aéreo. Serão avaliados 15 pacientes com diagnóstico de DPOC, que realizarão avaliação inicial, espirometria, manovacometria, teste ergométrico, teste de caminhada de seis minutos, incremental shuttle walking test, força de preensão palmar e teste de 1 repetição máxima. Posteriormente, os pacientes realizarão atividades propostas, segundo protocolo específico, durante 8 semanas consecutivas, com 2 sessões semanais de 30 minutos de duração composta por 5 exercícios de força. Os dados passaram por teste de normalidade de Shapiro-Wilk e comparados antes e após o treinamento utilizando o teste t pareado (distribuição normal) ou teste de Wilcoxon (distribuição não normal). Considerando que a terapia com haste oscilatória ainda não foi estudada em pacientes obstrutivos acreditamos que os resultados poderão ser disseminados em Reuniões Cientificas Nacionais ou Internacionais. Além disso, acreditamos que poderemos submeter os resultados desta pesquisa em revistas cientificas nacional ou internacional na área de Fisioterapia.