Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito do exercício físico sobre o equilíbrio e funcionalidade em indivíduos com osteoartrite de joelho, assintomáticos e sintomáticos

Processo: 13/21517-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2014
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Daniela Cristina Carvalho de Abreu
Beneficiário:Elisa Cavalheiro Libardi
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Cinesioterapia   Osteoartrite   Equilíbrio postural   Exercício físico

Resumo

O objetivo deste estudo será avaliar o equilíbrio e funcionalidade de indivíduos com osteoartrite (OA) de joelhos sintomáticos e assintomáticos, assim como, investigar como os exercícios físicos podem influenciar na melhora da funcionalidade desses pacientes. Serão avaliados 40 indivíduos com OA de joelhos, com idade entre 40 e 70 anos e 20 indivíduos sem OA para que seus dados sejam utilizados para comparação. Os participantes serão divididos em três grupos: Grupo 1 (n=20): indivíduos com OA de joelhos assintomática; Grupo 2 (n=20): indivíduos com OA de joelhos sintomática e Grupo 3 (n=20): indivíduos sem OA. Os participantes incluídos nos grupos 1 e 2 receberão intervenção de exercício físico (aquecimento, exercícios de fortalecimento muscular de membros inferiores e alongamento), durante 2 meses, 2 vezes por semana e serão avaliados antes e depois do tratamento. Os participantes do Grupo 3 serão avaliados apenas no momento de inclusão na pesquisa. Serão usados o questionário WOMAC (Western Ontario and McMaster Universities Arthritis Index) para avaliar dor, um questionário estruturado para se obter o histórico de quedas e presença de medo de quedas e por meio do equipamento Balance Master será avaliado o equilíbrio semi-estático (olhos abertos e fechados em superfície estável e instável), a descarga de peso nos membros inferiores com joelhos estendidos a 0° e a funcionalidade pelo teste de transpor degrau. Para a análise estatística será realizada MANOVAs, ANOVAs, testes de Correlação de Pearson e análises de Regressão linear. Se necessário, serão utilizados testes não-paramétricos e será adotado nível de significância de 5% (p d 0,05). Espera-se observar um declínio de equilíbrio e funcionalidade nos participantes com OA assintomática e sintomática, além de benefícios promovidos pelo exercício físico, comprovando a hipótese de que o comprometimento de aspectos físicos não estão diretamente relacionados a existência de sintomas da OA, assim como a importância dos exercícios para a promoção e prevenção de agravos nesta população. (AU)