Busca avançada
Ano de início
Entree

Discurso político e discurso da mídia: identidade, legitimidade e relações de poder

Processo: 14/11663-3
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 15 de agosto de 2014
Vigência (Término): 22 de junho de 2015
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Linguística - Teoria e Análise Lingüística
Pesquisador responsável:Zilda Gaspar Oliveira de Aquino
Beneficiário:Zilda Gaspar Oliveira de Aquino
Anfitrião: Maria Aldina de Bessa Ferreira Rodrigues Marques
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Universidade do Minho (UMinho), Portugal  
Assunto(s):Análise do discurso   Argumentação   Política e governo

Resumo

A proposta desta pesquisa é discutir questões voltadas à identidade e à legitimidade do discurso, para compreender como se dá essa construção, ao se tratar do discurso político presidencial e, ainda, ao se observar o discurso da mídia voltado a esse discurso proferido por quem ocupa o cargo máximo de representação de um país. Entende-se que o discurso político e o discurso da mídia convivem como representações de força, em especial quando se trata do discurso político do presidente da República. Parte-se da hipótese de que as discussões quanto à construção da identidade no mundo globalizado, conforme Hall (1996), retomado por Bauman (2005), Certeau (2007), aplicam-se ao caso brasileiro de modo sui generis, quando se observam pronunciamentos internos e externos à nação. Além disso, as relações de poder que aí se evidenciam entram em jogo com aquelas apresentadas pelo discurso da mídia. Trata-se de uma pesquisa descritiva, que busca proceder à análise do discurso em suas dimensões, linguístico-discursiva, sócio-cognitiva e argumentativa, para refletir sobre o funcionamento do discurso político e da mídia, tendo em vista as relações de poder, a interação que se estabelece com os interlocutores e as estratégias utilizadas que corroboram a construção da identidade e a legitimação desses discursos. O embasamento teórico no âmbito do discurso faz-se a partir dos trabalhos de Charaudeau (2008), Chilton (2004), Amossy (2008), Plantin (2005), entre outros. Os corpora constituem-se de pronunciamentos da Presidente da República Dilma Rousseff, coletados desde janeiro de 2010, início de seu mandato, voltados à nação brasileira e aos demais países, na ONU, e de editoriais dos periódicos Folha de S. Paulo e O estado de S. Paulo desse mesmo período. (AU)