Busca avançada
Ano de início
Entree

Artistas latino-americanos em Paris: Júlio Le Parc e Gontran Guanaes Netto

Processo: 14/11794-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2014
Vigência (Término): 31 de março de 2017
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Artes - Fundamentos e Crítica das Artes
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Carlos Eduardo Jordão Machado
Beneficiário:Leandro Candido de Souza
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Letras (FCL-ASSIS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Assis. Assis , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):16/02803-1 - Artistas latino-americanos em Paris: estética, religião e política no exílio, BE.EP.PD
Assunto(s):Vanguarda   Estética (arte)

Resumo

O presente projeto de pesquisa tem como objetivo principal analisar as relações de interlocução estabelecidas entre os artistas plásticos Julio Le Parc (1928-) e Gontran G. Netto (1933-). Sua meta é, inicialmente, destacar a gênese da parceria (estabelecida entre os anos de 1972 e 1985) e, num segundo momento, demonstrar de que maneira ela representou um exercício de funcionalização política da arte como instrumento de denúncia (em solo europeu) da luta dos povos oprimidos, especialmente os latino-americanos. Por fim, investigaremos o que suas obras apontam sobre as disputas culturais vividas durante a internacionalização oligopolista das instituições artísticas, ao longo de um processo viabilizado por golpes e terrorismo de Estado (perseguição, tortura e desaparecimento de pessoas). Assim, a pesquisa nos permitirá, pelo cruzamento analítico de diferentes fontes, a primeira leitura de uma discussão historiográfica que vem ocupando lugar de destaque na contemporaneidade, notadamente na França; a saber, os debates que circundam a oficialidade da arte cinética, o engajamento na figuração crítica, o cosmopolitismo contemporâneo e o nomadismo artístico. Para sua adequada realização, serão consultas fontes bibliográficas (livresca, artigos, dissertações e teses acadêmicas), peças de divulgação e registro (catálogos, convites e cartazes de exposições), hemerônimos (jornais, revistas, anais e boletins), material interdito (manuscritos, datiloscritos e epistolário), além, evidentemente, de obras de arte. (AU)