Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da regulação autonômica cardíaca em indivíduos com gagueira desenvolvimental persistente

Processo: 14/19442-6
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2014
Vigência (Término): 30 de novembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fonoaudiologia
Pesquisador responsável:Vitor Engrácia Valenti
Beneficiário:Marcela Leme Nogueira
Instituição Sede: Faculdade de Filosofia e Ciências (FFC). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Marília. Marília , SP, Brasil
Assunto(s):Fisiologia cardiovascular   Sistema nervoso autônomo   Distúrbios da fala   Gagueira   Regulação autonômica cardíaca   Variabilidade da frequência cardíaca
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Distúrbios da fala | fisiologia cardiovascular | Fonoaudiologia | gagueira | Sistema cardiovascular | Sistema nervoso autonomo | Gagueira

Resumo

A interação entre o sistema nervoso autônomo e a fala já foi revelado pela literatura, haja visto que o padrão respiratório, influenciado pela fala, está envolvido na alteração da variabilidade da frequência cardíaca (VFC). Entretanto, não está claro se a regulação autonômica cardíaca apresenta associação com a gagueira. Objetivo: Analisar a associação entre a modulação autonômica cardíaca em 20 indivíduos com gagueira. Método: O estudo será realizado em pacientes de ambos os sexos de 6 a 11 anos e 11 meses de idade divididos em dois grupos: 1) 15 indivíduos com gagueira desenvolvimental persistente 2) 15 Indivíduos fluentes, pareados por idade e sexo. Primeiramente serão realizados a análise da fluência dos sujeitos e em seguida a transcrição das amostras de fala até atingir 200 sílabas fluentes, considerando-se as sílabas fluentes e não fluentes. A tipologia das disfluências será realizada de acordo com o critério de Yairi e Ambrose (1992): Disfluências típicas da gagueira: repetição de parte da palavra, repetição de palavra monossilábica, bloqueio e prolongamento de som; outras disfluências: repetição¬ de palavra não monossilábica, repetição de frase, interjeição, revisão e frase incompleta. Para caracterizar a frequência das rupturas, serão utilizadas as seguintes medidas: porcentagem total de disfluências, porcentagem de disfluências típicas da gagueira e porcentagem de outras disfluências. A taxa de elocução será obtida por meio das medidas dos fluxos de sílabas e de palavras por minuto (SPM e PPM). Para estas medidas o tempo total despendido para cada amostra de fala será cronometrado e os cálculos serão realizados para obter os fluxos de sílabas e de palavras por minuto. Serão analisados os índices lineares, não-lineares e geométricos da variabilidade da frequência cardíaca (VFC). O protocolo de avaliação terá como base o registro em repouso durante 10 minutos e os índices serão correlacionados com a taxa de elocução, padrão temporal.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)