Busca avançada
Ano de início
Entree

Modelo de atenção, complexidade hospitalar e desfechos maternos e perinatais: análise dos dados da pesquisa nascer no Brasil - região sudeste

Processo: 15/02560-9
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 30 de julho de 2015
Vigência (Término): 22 de julho de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Pesquisador responsável:Flora Maria Barbosa da Silva
Beneficiário:Flora Maria Barbosa da Silva
Anfitrião: Debra Bick
Instituição-sede: Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : King's College London, Inglaterra  
Assunto(s):Pesquisa sobre serviços de saúde   Assistência perinatal   Saúde materna   Hospitais

Resumo

Introdução: A organização dos serviços de saúde tem um importante papel nos resultados de cuidado fornecido às mulheres e seus bebês, com a evidência de que certos desfechos são associados ao modelo de cuidado. A despeito de um aumento do cuidado institucionalizado da atenção ao parto nas últimas décadas, de 80% em 1981 para 98% em 2007, a qualidade do cuidado ainda é um desafio no Brasil. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, o Brasil é o quarto país mais lento na redução da mortalidade materna (5º Meta de Desenvolvimento do Milênio) até 2015, o que é explicado em parte pelas altas taxas de cesariana sem indicação clínica. No entanto, a pesquisa sobre modelos de atenção e organização de maternidades no Brasil tem se limitado a estudos com pequeno tamanho de amostra. O Inquérito Nacional "Nascer no Brasil", coordenado pela FIOCRUZ, é a primeira pesquisa nacional de saúde materna e perinatal brasileira com o objetivo de investigar o impacto dos cuidados de atenção materna em uma amostra representativa de mulheres nas cinco macrorregiões do país. Este estudo incluiu a coleta de dados detalhados sobre o modelo de organização e de cuidados de maternidade oferecidos às mulheres e uma gama de resultados maternos e neonatais. Optou-se por investigar a região Sudeste do Brasil, uma vez que esta região possui a maior cobertura de seguro de saúde no Brasil, de 39,4% e inclui 40% da população total do país. Objetivo: Avaliar o impacto da estrutura, organização e modelos de cuidado dos serviços de atenção materna sobre os resultados maternos e neonatais da região Sudeste do Brasil.Métodos: Estudo transversal por meio de análise secundária dos dados do Inquérito Nacional "Nascer no Brasil", coordenado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), como parte de projeto de pós-doutorado na Florence Nightingale Faculty of Nursing and Midwifery, em Londres, Inglaterra, sob a supervisão da professora Debra Bick. O período planejado para estas atividades é de 1Ú de Julho de 2015 a 30 de Junho de 2016 (12 meses). Os dados foram coletados em 89 hospitais, de fevereiro de 2011 a outubro de 2012, por meio de entrevistas e busca em prontuários das 10.126 mulheres que participaram do estudo na Região Sudeste do Brasil e por entrevistas com os gestores dos hospitais. Na análise estatística, a análise descritiva irá incluir a checagem de consistência dos dados, correções e o cálculo de médias, medianas e desvios-padrão para as variáveis numéricas. A descrição das variáveis categóricas envolverá a descrição das proporções entre categorias. A seguir, será construída a variável tipo de hospital, com o uso de variáveis referentes à localização, tipo de financiamento, modelo de cuidado, recursos humanos, equipamentos e aspectos organizacionais das unidades de saúde hospitalares. Para a construção desta variável, será utilizada a técnica de análise de agrupamentos (cluster analysis), por meio da qual será feita a classificação dos hospitais a partir de critérios de similaridade (Hair et al., 2005). Análises univariadas e múltiplas serão usadas para examinar a associação entre a variável de exposição (tipo de hospital) e desfechos primários e secundários. Na análise multivariada será usada a regressão logística binária de forma a estimar as razões de chance (odds ratio) brutas e ajustadas para os desfechos maternos e perinatais, com 95% de intervalo de confiança, considerando-se o tipo de hospital como variável de exposição. Esta análise irá considerar variáveis sócio-demográficas, clínicas e obstétricas como variáveis de ajuste. Todas as análises estatísticas serão feitas no pacote estatístico IBM SPSS versão 22. Esta pesquisa foi aprovada no Comitê de Ética em Pesquisa ENSP, sob o protocolo de número 92/10. Todos os diretores das instituições hospitalares e todas as puérperas assinaram o termo de consentimento livre e esclarecido.