Busca avançada
Ano de início
Entree

Implementação de um método 3D para cálculo de parâmetros de textura oriundos da matriz de coocorrência em Imagens de RM

Processo: 15/11338-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2015
Vigência (Término): 31 de agosto de 2016
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Gabriela Castellano
Beneficiário:João Pedro Oliveira Pompiani dos Santos
Instituição-sede: Instituto de Física Gleb Wataghin (IFGW). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/07559-3 - Instituto Brasileiro de Neurociência e Neurotecnologia - BRAINN, AP.CEPID
Assunto(s):Ressonância magnética   Neurologia

Resumo

A análise de textura é uma técnica de processamento de imagens que permite extrair descritores de uma imagem, ou de uma região da mesma, relativos a características que remetem a propriedades como suavidade, rugosidade, regularidade etc. Existem diversas abordagens para a extração de parâmetros de textura de uma imagem, sendo que para imagens médicas, uma das mais utilizadas tem sido a abordagem estatística, e, dentro desta, a classe de parâmetros mais utilizada tem sido a matriz de coocorrência (MCO) de níveis de cinza. Parâmetros estatísticos derivados da MCO têm apresentado diferenças estatisticamente significantes em imagens de ressonância magnética (RM) de indivíduos normais e pacientes com anomalias em estruturas cerebrais que parecem normais sob uma inspeção visual simples da imagem. Comumente calculam-se matrizes de coocorrência para fatias 2D da imagem de RM, que é 3D. Os parâmetros estatísticos de cada fatia são então combinados para fornecer uma estimativa da textura da imagem volumétrica. Este projeto visa o desenvolvimento de um método para calcular matrizes de coocorrência diretamente dos dados 3D, e, dessa forma, pular a etapa de combinação dos parâmetros estatísticos derivados das fatias 2D, tornando o processo mais eficiente e preciso. Volumetricamente, podemos caracterizar melhor uma determinada alteração em uma região cerebral do paciente, e, consequentemente, obter parâmetros de textura que possam ser mais robustos para comparações entre diferentes grupos de indivíduos.