Busca avançada
Ano de início
Entree

São Paulo e os estrangeiros: comprar, vender, comer 1870/1950

Processo: 15/17537-2
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 20 de janeiro de 2016
Vigência (Término): 19 de abril de 2016
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Fundamentos de Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador responsável:Ana Lucia Duarte Lanna
Beneficiário:Ana Lucia Duarte Lanna
Anfitrião: Monica Raisa Schpun
Instituição-sede: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : École des Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS), França  
Assunto(s):Cidades   Alimentação

Resumo

O propósito deste projeto de pesquisa é relacionar processos espaciais e sociais em curso na cidade de São Paulo a partir de finais do século XIX, examinando-os a partir da presença e atuação de estrangeiros que constituem, em suas práticas e redes de sociabilidade, a própria cidade. Enfrentaremos este tema priorizando as questões relacionadas às praticas alimentares dos estrangeiros, sua incorporação nos hábitos alimentares locais e a inserção destes estrangeiros nos lugares de comercialização então instituídos na cidade. O recorte espacial privilegiado, mas não exclusivo, será o bairro do Bexiga. Algumas questões definem os percursos da investigação proposta:Quem eram estes moradores e como construíram seu cotidiano, suas identidades e foram definindo os usos possíveis da região e da cidade? Que sociabilidades construídas mesclam imigrantes, pobres, prestadores de serviços urbanos e grupos de uma classe média? Como, apesar das transformações de seus moradores, ao bairro associa-se de forma permanente a imagem dos italianos? Como a construção de um lugar através de práticas sociais compartilháveis como a alimentação nos permite compreender sobre a construção do estrangeiro e do imaginário de uma cidade que se faz metrópole pela incorporação de alguns legados e pelo apagamento das marcas de distinção étnica? Como estas práticas alimentares possibilitam compreender as articulações entre os bairros e a cidade e entre a cidade e os locais de origem.Analisaremos as práticas alimentares e mercantis construídas pelos estrangeiros numa perspectiva que toma como central a mundialização dos mercados gerando novas formas alimentares resultantes dos contatos e trocas culturais assim como da difusão de produtos e práticas alimentares em escala global.