Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação de dietas enriquecidas com coproduto do processamento da amêndoa macadâmia para ovinos: digestibilidade aparente, desempenho, características de carcaça e carne e potencial de mitigação de metano

Processo: 15/23421-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2016
Vigência (Término): 31 de julho de 2016
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Produção Animal
Pesquisador responsável:Ricardo Lopes Dias da Costa
Beneficiário:Letícia Liepkaln dos Reis
Instituição-sede: Instituto de Zootecnia. Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). Nova Odessa , SP, Brasil
Assunto(s):Dieta animal   Alimentação animal   Alimentos funcionais   Confinamento animal   Macadâmia   Digestibilidade   Carcaça   Ruminantes   In vivo

Resumo

O uso da amêndoa de macadâmia pela indústria é crescente, sendo utilizada para consumo in natura, em alimentos processados, ou para extração de óleo para fins alimentares e para a indústria de cosmético. É rica em óleo com alto teor de ácidos graxos insaturados como os ácidos palmitoléico, oléico, linoléico e linolênico o que também a caracteriza como alimento funcional. Geralmente, o coproduto gerado na extração do óleo não passa por processo de agregação de valor porque são desconhecidas as suas potencialidades nutricionais e econômicas. Considerando a alimentação animal como elo entre a indústria da macadâmia e a pecuária, propomos o estudo da utilização do coproduto resultante do processo de extração de óleo da amêndoa macadâmia na alimentação de cordeiros em terminação visando melhorar o desempenho dos animais, a qualidade de carcaça e carne, e contribuir para o menor impacto ambiental pela redução da emissão de metano entérico, gerando assim, a possibilidade de desenvolvimento de uma rota alternativa para este tipo de material. Para isto serão realizados ensaios de digestibilidade "in vivo" das dietas, assim como, avaliações de parâmetros ruminais dos animais, avaliação do desempenho em confinamento, da qualidade da carcaça e da carne e o potencial de mitigação de metano entérico do coproduto da macadâmia. Os tratamentos propostos serão compostos por diferentes níveis de inclusão (0, 8, 16 e 24 %) deste coproduto no concentrado que será ofertado aos animais. O alimento a ser testado será fornecido pela empresa QueenNut Macadâmia que através do projeto FAPESP (Processo:13/19023-0) tem gerado este tipo de material.