Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da resistência à flexão de vitrocerâmicas de dissilicato de lítio para aplicação como prótese odontológica

Processo: 16/03836-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2016
Vigência (Término): 02 de setembro de 2018
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica - Materiais Não-metálicos
Pesquisador responsável:Edgar Dutra Zanotto
Beneficiário:Anelise Simões Sampaio
Instituição-sede: Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia (CCET). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/07793-6 - CEPIV - Centro de Ensino, Pesquisa e Inovação em Vidros, AP.CEPID
Bolsa(s) vinculada(s):17/21889-7 - Otimização da microestrutura da vitrocerâmica de dissilicato de lítio para melhorar sua resistência a fadiga, BE.EP.IC
Assunto(s):Materiais dentários   Vitrocerâmica   Prótese dentária   Injeção (métodos de medicação)   CAD/CAM   Resistência à flexão

Resumo

Os materiais odontológicos vêm ganhando cada vez mais espaço no ambiente de pesquisa devido a grande preocupação estética e funcional dos pacientes, levando à substituição de próteses móveis por fixas e a novas utilizações como é o caso das facetas. Dentre as próteses cerâmicas, as de dissilicato de lítio são as que permitem aliar resistência mecânica com estética devido sua elevada translucidez, produzindo um efeito similar ao dos dentes. Os materiais comerciais existentes possuem valor de resistência à flexão biaxial de até 400 MPa [1], mas o trabalho de Wolfram Hoeland [2] mostrou valores de até 740 + 1,80 MPa, evidenciando que é possível melhorar essa propriedade. Sendo assim, no doutorado da pesquisadora, dra. Mariana O. C. Villas Bôas, foram desenvolvidos dois materiais, sendo um deles indicado para processamento por injeção e o outro por CAD/CAM. Estes já foram avaliados por diversas técnicas, faltando apenas a parte de resistência mecânica. Assim, este trabalho tem como objetivo avaliar a resistência à flexão biaxial, de acordo com a norma ISO 6872 das duas próteses. Também serão avaliadas, para comparação, as próteses comerciais e-max Press e e-max CAD - melhores existentes no mercado. Além disso, será estudado como as variáveis de processamento, tensões, acabamento superficial e dispositivo, interferem nas propriedades finais. Após passarem pelos testes, as fraturas das amostras serão analisadas e será aplicado o método de estatística Weibull. (AU)