Busca avançada
Ano de início
Entree

Deficiência latente de ferro intra-útero e sua associação com anormalidades no BERA, em recém-nascidos com mais de 35 semanas gestacionais no Sistema Único de Saúde

Processo: 16/02885-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2016
Vigência (Término): 30 de junho de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Carla Maria Ramos Germano
Beneficiário:Leticia Valério Pallone
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Pediatria   Anemia ferropriva   Deficiência de ferro   Recém-nascido   Cordão umbilical   Potenciais evocados auditivos do tronco encefálico   Sistema Único de Saúde

Resumo

A deficiência de ferro (DF) é a deficiência nutricional mais comum em todo o mundo, atingindo cerca de 25% da população mundial. A anemia ferropriva causa impactos no Sistema nervoso central bem reconhecidos, como diminuição da velocidade da condução nervosa e alterações cognitivo-comportamentais. Entretanto, as alterações que a DF sem anemia causa ainda não estão totalmente elucidadas. Um estudo recente realizado com seres humanos mostrou forte relação entre DF latente intra-útero e alterações da condutividade do nervo auditivo. O presente estudo pretende analisar a relação entre a DF latente mensurada através da ferritina sérica do cordão umbilical, em recém-nascidos (RN) usuários do sistema único de saúde, nascidos a termo, sem intercorrências perinatais, com hematócrito normal e condutividade do nervo auditivo quantificada através dos resultados obtidos no exame BERA (Brainstem Evoked Response Audiometry).