Busca avançada
Ano de início
Entree

Transcriptoma das espermatogônias tronco e do nicho espermatogonial em zebrafish (Danio rerio) sob influência de estrógenos, andrógenos e FSH

Processo: 16/13463-7
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 21 de agosto de 2016
Vigência (Término): 20 de agosto de 2017
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca - Recursos Pesqueiros de Águas Interiores
Pesquisador responsável:Rafael Henrique Nóbrega
Beneficiário:Emanuel Ricardo Monteiro Martinez
Supervisor no Exterior: Adelino Vicente Mendonca Canario
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Local de pesquisa : Universidade do Algarve (UAlg), Portugal  
Vinculado à bolsa:13/22778-3 - Banco de espermatogônias tronco em peixes para conservação do genótipo de espécies ameaçadas e de interesse econômico, BP.PD
Assunto(s):RNA mensageiro   Transcriptoma   MicroRNAs   Peixe-zebra

Resumo

Os nichos espermatogoniais (NEs) são regiões específicas no testículo que regulam as propriedades das espermatogônias tronco (ET) de autorrenovar, diferenciar, entrar em apoptose, quiescência e pluripotência. A regulação dos NEs é essencial para assegurar a homeostase da espermatogênese, e evitar o acúmulo de ET (seminoma) quando a autorrenovação é favorecida, ou a depleção da espermatogênese quando a diferenciação é predominante. A caracterização e a regulação dos NEs tem atraído interesse de diversas pesquisas, incluindo as com peixes teleósteos, em especial com zebrafish. Em zebrafish, o NE é formado pelas células de Sertoli que envolvem as ET, e pelos elementos intersticiais adjacentes, como células de Leydig, e vasos sanguíneos. O hormônio folículo estimulante (Fsh), Amh (hormônio anti-Mülleriano), Igf3 (fator de crescimento semelhante à insulina) e outros fatores de crescimento têm importante papel na regulação dos NEs. Enquanto o Amh inibe a diferenciação espermatogonial e mantém as ET quiescentes, sendo negativamente regulado pelo Fsh, o Igf3, induzido pelo Fsh, promove a diferenciação e proliferação espermatogonial no sentido da meiose. Entretanto, ainda é desconhecido como o Amh e Igf3 interagem entre si e quais são as modificações gênicas induzidas por eles no NE. O projeto tem como objetivo estudar a interação (direta ou indireta) entre o Fsh, estrógenos e andrógenos com o Igf3 e Amh avaliando, a expressão gênica global, a fim de determinar os possíveis candidatos (mRNAs ou microRNAs) que estariam envolvidos na proliferação e diferenciação espermatogonial.