Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo dos espaços livres na microbacia do Gregório em São Carlos/SP com auxílio de geoprocessamento

Processo: 16/08748-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2016
Vigência (Término): 31 de julho de 2017
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Paisagismo
Pesquisador responsável:Luciana Bongiovanni Martins Schenk
Beneficiário:Elisabet Jhanaú Dávila Fernández
Instituição-sede: Instituto de Arquitetura e Urbanismo de São Carlos (IAU). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Arquitetura paisagística   Paisagem   Espaços livres   Bacia hidrográfica   Documentação   Geoprocessamento

Resumo

Em semelhança à maioria das cidades de porte médio do estado de São Paulo e do Brasil, a urbanização em São Carlos se deu de maneira desigual e irregular. Essa configuração do território, somada à pouca preocupação com a congruência em relação aos processos naturais e consequente descaso com a importância do planejamento da paisagem, transformou não apenas os modos de vida, mas trouxe consigo grandes conflitos e impactos ambientais. Vários pesquisadores que têm estudado esta cidade já observaram que práticas como ocupação das várzeas de rios, a excessiva impermeabilização dos solos urbanos e o resíduo sólido depositado em locais inadequados têm provocado um desequilíbrio ambiental que se torna visível nas frequentes inundações durante os períodos de chuvas, os desmoronamentos, a poluição e a consequente diminuição da qualidade de vida. Partindo da premissa de que o pensamento crítico é de importância vital para projetar a cidade e sua paisagem, entendendo-o como a essência que permite propor alternativas que contemplam pesquisa, análise e síntese, e de que é cada vez mais necessário que a Arquitetura da Paisagem direcione seu foco para atender aos problemas cotidianos da vida urbana, busca-se através desta pesquisa investigar possíveis modos de se conformar a paisagem da cidade de São Carlos na região do Córrego do Gregório. Para tanto, pretende-se realizar reflexões e análises lançando mão de ferramentas de informatização e geoprocessamento que os avanços tecnológicos aperfeiçoaram, de modo a produzir uma documentação que permita a visualização dessa complexidade auxiliando futuros projetos para a bacia hidrográfica em questão que promovam uma interação mais orgânica entre os processos urbanos e naturais.