Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito de adipócitos sobre a síntese de citocinas inflamatórias por osteoblastos

Processo: 16/16884-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2016
Vigência (Término): 30 de setembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Cirurgia Buco-maxilo-facial
Pesquisador responsável:Márcio Mateus Beloti
Beneficiário:Thales Fabro Vanzela Sverzut
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Adipócitos   Citocinas   Inflamação   Osteoblastos   Implantodontia

Resumo

A interação (crosstalk) entre osteoblastos e adipócitos tem impacto sobre o processo de osteogênese, uma vez que essas células coexistem e interagem na medula óssea. Recentemente, nós observamos que adipócitos derivados de células-tronco mesenquimais (CTMs) de tecido adiposo inibem a diferenciação osteoblástica de CTMs derivadas de medula óssea por sintetizar e secretar uma citocina inflamatória, o fator de necrose tumoral alfa (TNF-±) (Abuna et al., 2016). Tendo em vista a importância da interação entre osteoblastos e adipócitos para o processo de reparo ósseo, nós elaboramos a hipótese de que adipócitos, além de inibir a diferenciação osteoblástica via TNF-±, também regulam a síntese de citocinas inflamatórias por osteoblastos, o que poderia afetar o processo de osteogênese. Nesse contexto, o objetivo do presente projeto é investigar o efeito de adipócitos diferenciados a partir de CTMs derivadas de tecido adiposo sobre a expressão de citocinas inflamatórias em osteoblastos diferenciados a partir de CTMs derivadas de medula óssea em um modelo de co-cultura indireta de células. Para isso, CTMs serão obtidas de medula óssea e de tecido adiposo inguinal de ratos e cultivadas em meio de expansão até a subconfluência. Em seguida, as CTMs derivadas de medula óssea serão cultivadas em meio osteogênico e as derivadas de tecido adiposo, em meio adipogênico por 7 dias para induzir diferenciação osteoblástica e adipocítica, respectivamente. Entre os dias 7 e 10, osteoblastos serão mantidos em co-cultura indireta com adipócitos, utilizando transwells e, como controle, serão utilizadas culturas de osteoblastos crescidas na ausência de adipócitos pelo mesmo período. Aos 10 dias, será avaliada a expressão gênica das citocinas pró-inflamatórias, TNF-±, interferon gama (INF-³), interleucina 1 beta (IL1-²), IL17a, das citocinas anti-inflamatórias, IL4 e IL10, e dos marcadores osteoblásticos, RUNX2, osterix, fosfatase alcalina e osteocalcina, estes últimos para confirmar o efeito inibitório de adipócitos sobre a diferenciação osteoblástica, por PCR em tempo real. Os dados serão obtidos em triplicata (n=3) e submetidos ao teste não-paramétrico de Mann-Whitney, para dados independentes e duas amostras, para comparar osteoblastos crescidos na presença e na ausência de adipócitos (pd0,05).

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.