Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel do DNA extracelular de biofilme orais monomicrobianos e polimicrobianos

Processo: 17/07339-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2017
Vigência (Término): 31 de outubro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Periodontia
Pesquisador responsável:Gabriel Padilla
Beneficiário:Santiago Martín Lattar
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Transformação genética   Placa bacteriana   Resistência microbiana a medicamentos

Resumo

Biofilmes associados a infecções polimicrobianos, particularmente aqueles envolvendo fungos e bactérias são responsáveis pela significativa morbidade. Microrganismos em biofilmes vivos em uma matriz auto-produzida de substância poliméricas extracelulares hidratados (EPS) formando seu apropriado ambiente sendo constituídos de polissacarídeos, proteínas, ácidos nucléicos (eDNA) e lipídeos. Biofilme dental contém múltiplas espécies e estão em harmonia com o hospedeiro, entretanto, alterações ecológicas podem ocorrer dentro de uma comunidade microbiana podendo resultar em duas importantes doenças orais: cárie dental e doença periodontal. Infecções polimicrobianas são responsáveis pela elevada morbidade em adultos e crianças. Candida albicans, Staphylococcus aureus, Streptococcus mutans e Porphyromonas gingivalis são respectivamente, considerados fungos e bactérias oportunistas. Periodontopatógenos presentes na cavidade oral podem causar periodontitis. Interações cooperativas entre estreptococos orais e alguns patógenos tem papel importante no desenvolvimento de biofilme dental. Biofilmes multi-espécies formados por fungos, bactérias Gram positivas e Gram negativas, aeróbios e anaeróbios têm sido observados em modelos de biofilmes in vitro e in vivo. A camada interna de biofilmes orais confere resistência contra defesas específicas e não- específicas do hospedeiro durante a infecção, e confere tolerância a vários agentes antimicrobianos (biosurfactantes e antibióticos), assim como estresse ambiental. A camada interna do biofilme contém eDNA constituindo-se o principal componente da matrix do biofilme. eDNA facilita a adesão microbiana, resistência aos antibióticos e transferência horizontal de genes entre as células dentro do biofilme. Assim, este projeto foi elaborado para desenvolver modelos in vitro de biofilmes orais poli-microbiano e mono-microbiano, para avaliar o papel do eDNA durante o crescimento microbiano, transformação genética e resistência aos antibióticos.