Busca avançada
Ano de início
Entree

Identificação e quantificação de células t CD8+ e células t Foxp3+ em mastocitomas cutâneos caninos

Processo: 18/08895-0
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2018
Vigência (Término): 31 de maio de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Patologia Animal
Pesquisador responsável:Ricardo de Francisco Strefezzi
Beneficiário:Bianca Sthefany Emerick
Instituição Sede: Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA). Universidade de São Paulo (USP). Pirassununga , SP, Brasil
Assunto(s):Doenças dos animais   Mastocitoma cutâneo   Linfócitos T   Linfócitos T citotóxicos   Prognóstico   Cães   Histopatologia   Imuno-histoquímica
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:cão | imuno-histoquímica | mastocitoma | prognóstico | Oncologia

Resumo

O mastocitoma cutâneo canino está entre as neoplasias que mais acometem a pele de cães. Sua etiologia é desconhecida e seu comportamento biológico é muito variável, o que dificulta o estabelecimento de terapias eficientes. Diversos métodos de avaliação prognóstica têm sido estudados na tentativa de predizer a evolução desses tumores. A reação inflamatória e o sistema imune estão relacionados com a progressão de neoplasias e, por isso, são consideradas importantes na previsão do curso da doença. As células T CD8+ atuam na supressão do crescimento do câncer por meio de sua ação citotóxica, promovendo apoptose de células neoplásicas. A células T reguladoras, no ambiente tumoral, provocam a inativação de células T efetoras, auxiliando na evasão da resposta imune antitumoral e, consequentemente, aumento da malignidade. Portanto, essas células do sistema imune são de interesse para avaliação do desenvolvimento do mastocitoma, pois podem ajudar no prognóstico e na descoberta de novas terapias. O presente projeto tem como objetivo verificar a presença de linfócitos T citotóxicos e T reguladores em mastocitomas cutâneos caninos e sua relação com o prognóstico. Para tanto, amostras de mastocitomas cutâneos caninos serão analisadas por meio de imuno-histoquímica para detecção e quantificação de células T CD8+ e células T FoxP3+, que posteriormente serão comparadas aos graus histopatológicos, mortalidade em função da doença e tempo de sobrevida pós-cirúrgico.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)