Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da frequência do fogo no banco de gemas e órgãos subterrâneos na savana africana

Processo: 18/17612-2
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2019
Vigência (Término): 31 de julho de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Botânica Aplicada
Pesquisador responsável:Alessandra Tomaselli Fidelis
Beneficiário:Aline Bertolosi Bombo
Supervisor no Exterior: Frances Siebert
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro, SP, Brasil
Local de pesquisa : North-West University, Potchefstroom (NWU), África do Sul  
Vinculado à bolsa:17/02934-1 - Depois do fogo, de onde rebrotam as plantas? avaliação do banco de gemas e órgãos subterrâneos do cerrado, BP.PD
Assunto(s):Savana   Brotação   Regeneração (fenômenos biológicos)   Fogo

Resumo

Savanas são biomas tropicais que recobrem cerca de 20% da área terrestre, sobre as quais um quinto da população mundial vive e adquire seus recursos. São caracterizadas por uma riqueza de espécies herbáceas e alto endemismo, sendo que várias espécies, a fim de sobreviverem à fogos e à herbivoria, desenvolveram estruturas subterrâneas especializadas que permitem sua rebrota repetidamente. Essa capacidade de rebrota é uma das estratégias regenerativas mais importantes nesses ecossistemas, garantindo a persistência da população à distúrbios regulares, e está associada com o desenvolvimento, proteção e presença de um banco de gemas viável. O banco de gemas compreende todas as gemas presentes em uma planta que podem ser potencialmente utilizadas para regeneração vegetativa. A fim de compreender a resistência e resiliência das savanas e as diferentes estratégias de regeneração em ecossistemas inflamáveis, nós pretendemos fazer uma comparação entre as savanas tropicais, para entender como a história dos distúrbios impacta o banco de gemas e as estruturas subterrâneas. Para isso, o objetivo desse trabalho é acessar o banco de gemas e a diversidade de órgãos subterrâneos na savana Sul-africana, com o propósito de elencar características funcionais e relacioná-las às respostas da vegetação à eventos de fogo. Esse estudo será conduzido em uma savana sul africana (South African Lowveld Savanna Bioregion), utilizando diferentes tratamentos de fogo. Com esse trabalho, espera-se fornecer informações importantes sobre a resiliência dessas formações, uma vez que a caracterização do potencial regenerativo associado ao banco de gemas irá permitir uma melhor compreensão da comunidade em savanas tropicais.