Busca avançada
Ano de início
Entree

Dieta cetogênica enriquecida com ômega-3 na Epilepsia: uma abordagem translacional com foco nas características morfofuncionais do cérebro, comportamento, controle de crises e efeitos adversos associados ao estresse oxidativo e metabolismo lipídico

Processo: 19/07056-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de agosto de 2019
Vigência (Término): 31 de julho de 2023
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Bioquímica da Nutrição
Pesquisador responsável:Nágila Raquel Teixeira Damasceno
Beneficiário:Giovanna Fernandes Ricciarelli
Instituição-sede: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Dieta cetogênica   Ácidos graxos ômega-3   Estresse oxidativo   Metabolismo dos lipídeos   Cérebro   Epilepsia resistente a medicamentos

Resumo

A prevalência da Epilepsia é de 0,5 a 1% nos países desenvolvidos. Estima-se que 20 a 30% dos pacientes pediátricos apresentam refratariedade ao tratamento farmacológico. A Dieta Cetogênica (DC) consiste em um tratamento adjuvante ao tratamento farmacológico prescrito para crianças e adolescentes com Epilepsia Fármaco-Resistente. A composição da DC é baseada em um alto teor de gordura, teor proteico moderado e baixo teor de carboidratos, sendo constituída principalmente por alimentos ricos ácidos graxos saturados e monoinsaturados. Na literatura, evidências sugerem que o elevado consumo de PUFAS n-3 poderiam otimizar os efeitos anticonvulsivantes da DC, promovendo melhora do perfil inflamatório e oxidativo, nos parâmetros de perfil lipídico e ao nível cerebral promover alterações morfofuncionais compatíveis com um melhor controle de crises convulsivas. O presente estudo terá como objetivo avaliar a incorporação de ácidos graxos ômega 3 e seu impacto nas características morfofuncionais do cérebro e no perfil oxidativo, inflamatório e dislipidêmico ao nível sistêmico no contexto da Epilepsia Fármaco-Resistente sob tratamento com DC. Trata-se de um estudo translacional baseado em modelo experimental e ensaio clínico, com seguimento de 3 (T0 e TF) e 6 meses (T0, T1 e T2), respectivamente. Será feita avaliação do perfil lipídico (concentrações de colesterol total (CT), triacilglicerois (TG) e colesterol associado à HDL (HDL-C) e LDL (LDL-C)), corpos cetônicos (²-hidroxibutirato) e marcadores oxidativos (detecção de LDLox e de substâncias reativas ao ácido tiobarbitúrico (TBARS) , inflamatórios (citocinas pró-inflamatórias Interleucina 1b (IL1b), Interleucina 10 (IL10)), Fator de Necrose Tumoral (TNF-a) e anti-inflamatória Interleucina 10 (IL10) e análises de neuroimagem (PET-CT e MRS). Todos os testes estatísticos serão analisados no programa Statistical Package for the Social Siences® (SPSS) versão 20.0. (AU)