Busca avançada
Ano de início
Entree

Mundurukânia: fontes documentais e materiais para o estudo da concepção espacial na cultura Munduruku (séc. XVIII e XIX)

Processo: 19/04357-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2019
Vigência (Término): 31 de julho de 2020
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Fundamentos de Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador responsável:Renata Maria de Almeida Martins
Beneficiário:Luis Felipe Clemente Nunes
Instituição-sede: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/23222-4 - Barroco cifrado: pluralidade cultural na arte e na arquitetura das missões jesuíticas no estado de São Paulo (1549-1759), AP.JP
Assunto(s):História da arquitetura

Resumo

Esta pesquisa de Iniciação Científica pretende realizar levantamento e mapeamento de fontes escritas e iconográficas acerca da concepção espacial da cultura Munduruku durante os séculos XVIII e XIX. O estudo será apoiado em bibliografia do período colonial brasileiro, especialmente relatos de viagem e citações referendadas no dicionário colonial de Antônio Porro (2007). A seguir, buscará estabelecer conexões entre registros históricos e literatura acadêmica no campo da antropologia e arqueologia modernas, especialmente as pesquisas de Robert Murphy (1954-1960), Alfred Métraux (1927-1928), Bruna Rocha (2017), Cristiana Barreto (2001) e Eduardo Neves (2001). Tal correlação irá conformar uma inicial organização de fontes documentais e iconográficas, visando permitir uma melhor compreensão da concepção de espaço dentre o universo cultural Munduruku, povo amazônico de singular herança cultural no norte do Brasil. Este projeto colabora para o tema da contribuição das tradições ameríndias nas artes, na arquitetura e nas técnicas do período colonial, dentro do Projeto Jovem Pesquisador FAPESP, Barroco Cifrado: Pluralidade Cultural nas Missões Jesuíticas no Estado de São Paulo (1653-1759) locado na FAU-USP, para o qual a Amazônia constitui um dos mais importantes campos de investigação.