Busca avançada
Ano de início
Entree

Experimentos fora do laboratório como uma história da econometria

Processo: 19/17650-4
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 30 de novembro de 2019
Vigência (Término): 30 de setembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Economia
Pesquisador responsável:Pedro Garcia Duarte
Beneficiário:Arthur Brackmann Netto
Supervisor no Exterior: Kevin D Hoover
Instituição-sede: Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Duke University, Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:18/07105-6 - Experimentos fora do laboratório como uma história da econometria, BP.DR
Assunto(s):História do pensamento econômico   Econometria   Experimentos

Resumo

Seguindo os passos de Epstein (1987) e Morgan (1990), a história da econometria se concentrou na história da abordagem da Cowles Commission (CC). Não surpreende que os esforços iniciais da história da econometria estejam intimamente relacionados à história da macroeconomia e da economia matemática. Membros renomeados do CC eram pesquisadores líderes no campo de modelos econômicos dinâmicos, flutuações econômicas, ciclos de negócios e equilíbrio geral. A falta de foco na microeconometria é ilustrada de maneira interessante pelas publicações comemorativas do 50º aniversário do CC, que tratavam do papel da Fundação em Economia Matemática, Macroeconomia e Metodologia Econométrica (ver Malinvaud, 1988, Solow, 1983, Debreu, 1983).Assim, em quatro das pesquisas clássicas sobre Econometria, Epstein (1987), Morgan (1990), Louçã (2007) e Qin (1993), o termo microeconometria não foi citado nem uma só vez versus várias citações à "macroeconometrica". " Pesquisas em bancos de dados que incluem periódicos de história da economia e artigos organizados por código JEL descrevem um quadro semelhante. A microeconometria é consideravelmente subestimada em artigos históricos.Este não é um problema em si, dado que é um fato consolidado que a macroeconomia e a macroeconometria tiveram desenvolvimentos anteriores em economia. No entanto, pode disseminar uma história departamentalizada, em que microeconometria e macroeconometria se desenvolvem como campos distintos e separados. Com exceção de Heckman (2000, 2010), este tem sido o caso de artigos amplamente divulgados (veja Panhans e Singleton 2017, Biddle e Hamermesh 2017, Levitt e List 2008, Angrist e Pischke 2010, Backhouse e Cherrier 2010), onde palavras tais como "revolução", "turno" e "turno" definem o tom das narrativas.Considerando a falta de narrativas sobre a história da microeconometria, o presente projeto pretende preencher a lacuna explicando o surgimento de microeonométricas através de uma história de experimentos fora do laboratório como uma história da econometria. Microeconometria tem evoluído durante a passagem de observações passivas como simultaneidade para observações passivas como variáveis omitidas, quando econometras começaram a lidar com novos dados desagregados. O projeto visa explicar como a ampliação do problema de observação passiva levou os departamentos de relações industriais aplicadas a serem os lares da microeconomia e dos microeconomistas a omitirem a simultaneidade como um problema relevante.Metodologicamente, o projeto utilizará evidências primárias, como arquivos e entrevistas, além de evidências bibliométricas. A este respeito, em complemento ao material principal da tese, o projeto também pretende oferecer material suplementar em pelo menos duas maneiras adicionais: 1) fornecer relatórios de código interativo, a fim de apoiar a reprodutibilidade dos resultados bibliométricos; 2) Fornecer acesso ao conteúdo das entrevistas por meio de amostras de áudio, vídeo ou escritas.