Busca avançada
Ano de início
Entree

Envolvimento de receptores dopaminérgicos D2 na expressão e extinção do medo condicionado em fêmeas em diferentes fases do ciclo estral

Processo: 19/20274-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2019
Vigência (Término): 30 de novembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Fisiológica
Pesquisador responsável:Amanda Ribeiro de Oliveira
Beneficiário:Camila de Oliveira Alves
Instituição-sede: Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Transmissão sináptica   Dopamina   Ciclo estral animal   Encéfalo   Sulpirida   Fêmeas

Resumo

A dopamina é um neurotransmissor que vem sendo cada vez mais relacionado com estados de medo/ansiedade. Estudos demonstraram que a exposição a estímulos condicionados aversivos leva ao aumento da liberação de dopamina em algumas estruturas, como amígdala e o núcleo accumbens. Tais estudos foram realizados, em sua maioria, em machos. Potenciais diferenças entre sexos, levando em consideração, por exemplo, o fato de o encéfalo feminino operar em um ambiente de mudanças químicas causadas pela produção cíclica de hormônios sexuais, carece de investigações. Nesse sentido, temos como objetivo avaliar os efeitos da sulpirida (antagonista dopaminérgico de receptores D2) na expressão e extinção do medo condicionado em fêmeas, ampliando a caracterização do envolvimento da neurotransmissão dopaminérgica no medo condicionado e avaliando a influência das diferentes fases do ciclo estral. Serão utilizados 24 ratos Wistar machos e 120 fêmeas, com peso aproximado de 280 g. No Experimento 1, avaliaremos a eficácia do protocolo de condicionamento aversivo ao contexto na aquisição, expressão e extinção da resposta condicionada de congelamento em fêmeas (proestro/estro e metaestro/diestro) em comparação com machos. Para tanto, os animais passarão pela etapa de treino, em que haverá a apresentação de choques nas patas. Após 24 e 48 h, os animais serão submetidos às sessões de teste e reteste, sem apresentação de choques, no mesmo contexto ou em um contexto diferente, para avaliação da expressão e extinção da resposta de congelamento. No Experimento 2, avaliaremos os efeitos da sulpirida (20 e 40 mg/kg) na expressão e extinção do medo condicionado em fêmeas (proestro/estro e metaestro/diestro). Para tanto, primeiramente as fêmeas passarão pelo treino do condicionamento aversivo ao contexto. Após 24 h, haverá administração de sulpirida (20 ou 40 mg/kg) ou de veículo e, em seguida, as fêmeas serão submetidas ao teste no mesmo contexto. Após outras 24 h, os animais serão submetidos ao reteste, também no mesmo contexto. Potenciais efeitos motores serão avaliados com os testes de catalepsia e do campo aberto. (AU)