Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do desempenho de mapas de textura no aprimoramento da detecção de defeitos ósseos simulados em cabeça de mandíbula por imagens de tomografia computadorizada de feixe cônico

Processo: 19/25977-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2020
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Radiologia Odontológica
Pesquisador responsável:Sérgio Lúcio Pereira de Castro Lopes
Beneficiário:Larissa Ferreira Ribeiro
Instituição-sede: Instituto de Ciência e Tecnologia (ICT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José dos Campos. São José dos Campos , SP, Brasil
Assunto(s):Defeitos ósseos   Côndilo mandibular   Diagnóstico bucal   Processamento de imagens   Tomografia computadorizada de feixe cônico   Mapas   Textura   Análise de desempenho

Resumo

Este estudo terá como objetivo avaliar o desempenho das imagens de mapas de textura (MT), geradas por meio da análise de textura (AT), como ferramenta para aprimorar a identificação de defeitos ósseos simulados em cabeça de mandíbula (CM) em imagens por tomografia computadorizada de feixe cônico (TCFC). Adicionalmente, será realizada a comparação da variação da resolução das imagens na detecção dos defeitos. Serão realizados 03 defeitos ósseos, por vez, em 08 CM humanas maceradas, com brocas diamantadas esféricas (0,9; 1,0; 1,2 mm), dispostos, de forma aleatória, em duas linhas previamente traçadas, unindo os polos lateral/medial (L e M) e anterior/posterior (A e P), passando por um ponto central (C). Estes pontos - L, M, C, A e P - serão marcados por material hiperdenso, com intuito de se orientar na realização dos 02 cortes a serem analisados, determinando 04 semi-retas, em cada uma será realizado apenas 01 defeito, sendo que, uma destas não receberá o defeito. Serão realizadas as aquisições das imagens em um tomógrafo da marca i-CAT Next Generation, em duas resoluções: voxel de 0,20 e 0,40mm. As imagens no formato DICOM serão exportadas para o software OnDeman3D, onde serão aplicados filtros e valores de janelas (WW e WL) fixo e padronizados, traçando-se duas retas, com a ferramenta "curva", gerando 02 cortes para cada CM: um corte LCM (paracoronal) e outro ACP (parassagital), tendo como orientação as marcações hiperdensas dos pontos. Os cortes serão exportados no formato bitmap (.bmp) para o software MaZda 4.60, no qual será selecionada uma região de interesse (ROI), englobando a CM e por meio de cálculo da AT, geradas imagens correspondentes a diferentes MT, de acordo com os parâmetros selecionados previamente. Todas as imagens, sem MT e com MT, serão codificadas e montadas de forma randomizada e individualmente em software Power Point (Microsoft). Três avaliadores previamente calibrados serão instruídos a analisá-las, quanto à presença ou não dos defeitos entre cada ponto hiperdenso das imagens, utilizando scores: lesão ausente; lesão presente e inconclusivo. A concordância de diagnósticos de presença ou ausência de defeitos nas CM obtidos pelas imagens com e sem mapa de textura, será aferido com o gabarito padrão e serão analisadas pelo teste de Kappa. As porcentagens de diagnósticos corretos em imagens com e sem MP e com diferentes voxel serão comparadas pelo teste do Q-quadrado. Por fim, a influência dos tamanhos dos defeitos em relação ao acerto do diagnóstico será comparada em cada resolução (tamanho do voxel) e com e sem mapas de textura pelo teste de Q-quadrado.