Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise da expressão e do número de cópias de line1 em neurônios obtidos in vitro de indivíduos dentro do transtorno do espectro autista e nos espermatozóides de seus pais

Processo: 20/04003-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2020
Vigência (Término): 30 de novembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Pesquisador responsável:Claudia Berlim de Mello
Beneficiário:Kathleen da Silva Sousa
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Epigênese genética   Transtorno do espectro autista   Transtornos do neurodesenvolvimento   Gametas   Fatores biológicos

Resumo

O Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) é um transtorno do neurodesenvolvimento que está entre as missing heritability, ou seja, ele faz parte de um conjunto doenças complexas cujas causas e mecanismos de herança ainda não foram desvendadas. Apesar estudos de gêmeos sugerirem um forte componente genético, apenas 10% dos casos de TEA derivam dessas desordens genéticas. Estas evidências indicam a participação crítica de fatores de risco ambientais na etiologia do transtorno e a importância de pesquisar fatores biológicos como os mecanismos genéticos e epigenéticos, além dos fatores ambientais. Dados da literatura científica indicam que elementos transponíveis podem escapar do processo de hipometilação global nos gametas, alterando o fenótipo através da permanência de marcas epigenéticas. Entre esses elementos transponíveis, um que se destaca é a sequência long interspersed element-1 (LINE-1), que vêm sendo correlacionada com o TEA. Artigos publicados nos últimos anos, encontraram um aumento no número de cópias da região LINE-1 em áreas específicas do cérebro de pacientes com TEA comparados aos pacientes controle, além da hipometilação desta sequência em células somáticas de pacientes com o transtorno do espectro autista, evidenciando a possível participação da sequência LINE-1 na etiologia do distúrbio. Assim, o atual projeto objetivo investigar o perfil de expressão e variação do número de cópias das sequências LINE-1 em pacientes com TEA e nos espermatozoides de seus pais, demonstrando a importância de investigar as alterações em gametas para o entendimento da transmissão da herança transgeracional epigenética do transtorno.