Busca avançada
Ano de início
Entree

Polimorfismo de locos SSR para construção de um mapa de ligação genética entre populações híbridas de c.arabica x c.canephora

Processo: 04/01491-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2005
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2007
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Vegetal
Pesquisador responsável:Carlos Augusto Colombo
Beneficiário:Milene Möller
Instituição-sede: Instituto Agronômico (IAC). Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Técnica de amplificação ao acaso de DNA polimórfico   Mapeamento   Repetições de microssatélites   Coffea canephora   Diversidade genética   Coffea arabica

Resumo

O café (Coffea sp) é um dos principais produtos agrícolas no mundo, sendo o Brasil o maior produtor e exportador mundial. Um dos fatores responsáveis por essa produção tem sido a utilização de cultivares altamente produtivos, os quais provêm de contínuo trabalho referente ao melhoramento do cafeeiro, que teve seu início no país em 1933 no Instituto Agronômico (IAC) estando em andamento até o presente. Entretanto, por ser uma cultura perene, desenvolver uma variedade pode demorar até 30 anos, como é o caso da variedade Icatu, proveniente do cruzamento interespecífico entre C. arábica e C. canephora. A partir dos parentais C. arabica, C. canéfora duplicado e do híbrido tetraplóide entre ambos (H246-10-1), foram obtidos híbridos F2 e híbridos retrocruzados (RC1) para C. arábica. Estas populações estão sendo cultivadas na Estação Experimental do IAC desde 1999 e podem se constituir em excelente material para estudos de ligação genética e conseqüente desenvolvimento de novos cultivares para a cultura. O presente projeto visa à caracterização destas populações em relação a locos microssatélites e polimorfismos de RAPD. Seu estudo abrirá o potencial para o mapeamento de muitos genes, para a seleção assistida por marcadores e inúmeros estudos sobre variabilidade genética, estrutura populacional, fluxo gênico e sistema reprodutivo na cultura. Uma vez ancorados num mapa de ligação, espera-se poder estender o uso destas ferramentas a diferentes germoplasmas de cafeeiro. (AU)