Busca avançada
Ano de início
Entree

Relação da concentração de HDL-colesterol com o metabolismo de colesterol em monócitos e no plasma humano.

Processo: 08/06515-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2008
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2008
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Eder Carlos Rocha Quintão
Beneficiário:Roberto Issamu Morita Júnior
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:06/60585-9 - Relação da concentração de HDL colesterol no plasma com o metabolismo corpóreo de colesterol e em monócitos no ser humano, AP.TEM
Assunto(s):Endocrinologia   HDL-Colesterol

Resumo

De acordo com ensaios populacionais a concentração das HDL no plasma é inversamente relacionada à incidência de doença vascular coronariana de maneira muito mais significativa do que a elevação da LDL como fator de risco.Embora os mecanismos de aterogenicidade destas últimas tenham sido minuciosamente elucidados in vitro e in vivo, não se sabe qual é o principalmecanismo antiaterogênico conferido pela HDL. Uma possibilidade é a sua participação no transporte reverso de colestrol (TRC), sistema pelo qual colesterol dos tecidos periféricos, incluindo o da íntima arterial, é captado pelofígado e secretado na bile. Tendo em vista a premissa que o controle do metabolismo corpóreo de colestrol deve: 1) variar muito mais em função da concentração no plasma humano da HDL do que da LDL; 2) que os linfomonócitos do sangue refletem a síntese corpórea de colesterol, e 3) que esta tem relação inversa com a absorção intestinal de esteróis, a presenteproposta objetiva medir a repercussão da concentração no plasma da HDL e suas frações sobre a economia do colesterol corpóreo medida como: 1) expressão de receptores celulares que transportam colesterol através damembrana plasmática; 2) componentes bioquímicos críticos na regulação da produção celular de colesterol; 3) marcadores no plasma da síntese corpórea e da absorção intestinal de colesterol. Para isto mediremos os parâmetros que regulam metabolismo do colesterol em linfomonócitos frescos do sangue e os esteróides plasmáticos marcadores de síntese (latosterol/desmosterol) e da absorção intestinal (fitoesteróis/colestanol). Relacionaremos estes parâmetros com o grau de aterosclerose medido por ultrassonografia de carótidas por ecodoppler.