Busca avançada
Ano de início
Entree


Validade preditiva de métodos para a avaliação da atividade das lesões de cárie em dentes decíduos

Texto completo
Autor(es):
Isabela Floriano Nunes Martins
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Odontologia
Data de defesa:
Membros da banca:
Mariana Minatel Braga Fraga; Fausto Medeiros Mendes; Lucia de Fátima Almeida de Deus Moura
Orientador: Mariana Minatel Braga Fraga
Resumo

A avaliação da atividade das lesões de cárie tem sido utilizada na determinação do prognóstico da doença e no processo de decisão de tratamento. Para a classificação imediata de uma lesão quanto ao seu status de atividade, alguns critérios visuais têm sido propostos, como o índice de Nyvad e o International Caries Detection and Assessment System em conjunto com o Lesion Activity Assessment (ICDAS+LAA). Divergências têm sido mostradas na determinação da atividade por esses dois índices através da validação de critério, cujo uso não é consensual na literatura. O presente estudo teve como objetivos realizar a validação preditiva dos índices de Nyvad e ICDAS+LAA, bem como de algumas características clínicas usadas na avaliação de lesões de cárie, isoladas e combinadas. A associação de variáveis independentes referentes ao dente e à criança com a progressão de lesões de cárie também foi verificada. Para isso, as superfícies oclusais dos molares decíduos de 208 crianças foram examinadas utilizando os índices citados e coletaram-se variáveis explicativas relacionadas ao dente e à criança. Um examinador de referência realizou o exame dos mesmos sítios para avaliação de características clínicas relacionadas à atividade das lesões de cárie: potencial de estagnação de placa, pigmentação, opacidade, cavitação, textura e profundidade. Após um ano do primeiro exame, 151 crianças foram reavaliadas pelos mesmos examinadores, seguindo os mesmos critérios visuais. Para análise da validade preditiva utilizou-se como desfecho a progressão da lesão, definida como a ocorrência de cavitação em dentina, restauração da superfície ou exodontia por cárie. Foram feitas análises de regressão para cada um dos índices para verificar a associação entre o desfecho e a condição de atividade determinada por ele (hígido, lesão inativa e lesão ativa) e características do dente e da criança. Análises de regressão foram feitas para verificar a associação entre a progressão das lesões e os parâmetros clínicos avaliados, isolados ou combinados. Utilizou-se análise de regressão de Poisson testando modelos univariados e múltiplos, quando fosse o caso. O risco relativo para cada condição testada foi calculado, considerando um intervalo de confiança de 95% (95% IC). Lesões ativas e inativas não apresentaram diferença quanto à progressão de lesões de cárie após um ano. No entanto, nesse período, a severidade das lesões foi associada à progressão das mesmas. Lesões em dentina ou cavitadas apresentaram maior risco de progressão que superfícies hígidas ou não cavitadas, sendo que outros parâmetros como a textura e a opacidade não influenciaram na predição da progressão das lesões cavitadas. Já para lesões não cavitadas, a rugosidade, diferentemente da opacidade, parece ser um fator que pode auxiliar na distinção das lesões que tendem a ter maior risco de progredir. Após um ano, o status de atividade não está associado com a maior progressão das lesões, ao passo que a severidade, parâmetro mais simples de ser avaliado, mostra essa associação. Para lesões cavitadas, outras características relacionadas à atividade das lesões de cárie contribuem pouco na predição da progressão das lesões. A rugosidade pode ser parâmetro útil na predição do risco de progressão de lesões não cavitadas. (AU)

Processo FAPESP: 11/16415-0 - Validade concorrente e preditiva de dois índices visuais para a avaliação da atividade das lesões de cárie em dentes decíduos
Beneficiário:Isabela Floriano Nunes Martins
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado