Busca avançada
Ano de início
Entree


Resistência a fungicidas estrobilurinas em populações de Pyricularia oryzae de áreas de trigo no Brasil

Texto completo
Autor(es):
Samanta Cristiene de Oliveira
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Instituição: Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Faculdade de Engenharia (Campus de Ilha Solteira).
Data de defesa:
Membros da banca:
Alcebíades Ribeiro Campos; Marco Antonio Basseto
Orientador: Paulo Cezar Ceresini
Resumo

A brusone, causada por Pyricularia oryzae, é a doença mais importante do trigo em todo Centro-Sul do Brasil. Seu controle tem dependido, fortemente do uso de fungicidas estrobilurinas, inibidores de quinona oxidase, QoI. Resistência aos fungicidas QoI (QoI-R) já foram constatadas para diversos patossistemas em todo o mundo. Neste trabalho testou-se a hipótese principal de que as populações brasileiras de P. oryzae associadas com o trigo permanecem sensíveis aos fungicidas QoI. Em contraste, foi testada a hipótese alternativa de que o uso extensivo e consecutivo de fungicidas QoI nas duas últimas décadas para o manejo da brusone do trigo na região Centro-Sul do Brasil, levou à emergência e a distribuição generalizada de QoI-R em populações de P. oryzae associadas ao trigo nas principais áreas de cultivo do país. Determinou-se, também, se outras espécies de plantas poáceas adjacentes a campos de trigo hospedavam populações QoI-R de P. oryzae, servindo como um reservatório de inóculo do patógeno resistente. Os principais objetivos foram estudar a ocorrência e a distribuição da resistência aos fungicidas QoI em populações de P. oryzae associadas ao trigo e a outras espécies de plantas poáceas adjacentes a campos de trigo no Centro-Sul do Brasil, examinando as mutações no gene citocromo b (cyt b) e determinando a sensibilidade dos isolados de P. oryzae a azoxistrobina em experimentos in vitro. Foi analisada a distribuição generalizada de QoI-R em populações de P. oryzae em campos brasileiros de trigo de 325 isolados, dos quais 198 foram derivados de trigo e 91 de outras plantas poáceas amostradas nos mesmos campos de trigo, em 2012, e 36 isolados de trigo obtidos em 2005. O sequênciamento do gene cyt b distinguiu nove haplótipos, dois compartilhados entre trigo e outras plantas poáceas e sete exclusivos de outras plantas poáceas. Quatro desses haplótipos... (AU)

Processo FAPESP: 13/03116-0 - Em busca de evidências de resistência a estrobirulina em populaçoes de Magnaporthe oryzae do trigo.
Beneficiário:Samanta Cristiene de Oliveira
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado