Busca avançada
Ano de início
Entree


Estudo comparativo do emprego de selante de fibrina comercial e derivado do veneno de cascavel para reimplante de raízes ventrais medulares após avulsão

Autor(es):
Mateus Vidigal de Castro
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Instituto de Biologia
Data de defesa:
Membros da banca:
Antônio de Castro Rodrigues; Valéria Paula Sassoli Fazan
Orientador: Alexandre Leite Rodrigues de Oliveira
Resumo

Lesões axonais na interface do sistema nervoso central (SNC) e periférico (SNP), como a avulsão de raízes ventrais (ARV), induzem importantes processos degenerativos retrógrados, podendo resultar em morte neuronal e consequente perda da função motora. Nesse tipo de lesão ocorre a separação de raízes nervosas com a medula espinal, interrompendo o contato entre um motoneurônio e as fibras musculares por ele inervadas. Um tratamento promissor seria a utilização de selantes de fibrina, para reimplantar as raízes ventrais nos seus respectivos sítios de avulsão e assim, promover a reconexão do motoneuronio ao órgão alvo e consequentemente, o retorno funcional. Atualmente os selantes de fibrina são utilizados em uma vasta gama de procedimentos cirúrgicos, incluindo cirurgia cardiovascular, torácica, plástica e reconstrutiva, dentária e neurocirurgia. No presente estudo foram utilizados dois tipos de selantes de fibrina para reconectar as raízes ventrais no local exato da lesão. Um deles, produzido a partir do veneno de Crotalus durissus terrificus e outro produzido comercialmente, a fim de investigar a eficácia de ambos na regeneração nervosa e recuperação motora após avulsão de raízes ventrais medulares. Para isso, ratos Lewis fêmeas, com 10 semanas de idade, foram submetidos à avulsão de raízes ventrais medulares (L4-L6). Esses animais foram divididos em 3 grupos: 1) Avulsão de raízes motoras, sem reimplante; 2) Avulsão e reimplante das raízes motoras com selante de fibrina derivado do veneno de Crotalus durissus terrificus na superfície medular; 3) Avulsão e reimplante das raízes motoras com selante de fibrina comercial (Tissucol). A intumescência lombar e o nervo isquiático foram dissecados e os espécimes processados para a investigação da sobrevivência neuronal e contagem de axônios mielínicos, bem como análise de parâmetros histomorfométricos. A imunoistoquímica foi empregada para avaliar a estabilidade sináptica, reatividade astroglial e reatividade microglial, além da expressão de proteínas relacionadas ao processo regenerativo axonal. Adicionalmente, a evolução da recuperação motora, foi investigada através do método "walking track test" (CatWalk). Os resultados indicaram que o reimplante das raízes avulsionadas com ambos selantes de fibrina melhoraram significativamente a recuperação motora até 12 semanas pós-operatórias. Além disso, o número médio de axônios e a sobrevivência neuronal foram igualmente aumentados nos grupos onde houve o reimplante. Por fim, o reimplante promeveu preservacão parcial da cobertura sináptica e aumento da expressão de proteínas relacionadas ao processo de regeneracão axonal. Por outro lado, não houve diferenças na reatividade microglial e astrogliose reativa, na fase aguda pós-lesão, entre os grupos experimentais. Em conjunto, nossos resultados sugerem que o selante de fibrina derivado do veneno de Crotalus durissus terrificus, bem como o selante de fibrina comercial (Tissucol), utilizados para o reimplante de raízes medulares são similarmente eficientes, reimplantando as raízes avulsionadas de forma estável e duradoura, gerando efeitos neuroprotetores e promovendo melhora motora. (AU)

Processo FAPESP: 13/04409-0 - Estudo comparativo do emprego de selante de fibrina comercial e derivado do veneno de cascavel para reimplante de raízes ventrais medulares após avulsão
Beneficiário:Mateus Vidigal de Castro
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado