Busca avançada
Ano de início
Entree


MicroRNoma do carcinoma de pâncreas

Texto completo
Autor(es):
Tainara Francini Felix
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Botucatu. 2016-03-18.
Instituição: Universidade Estadual Paulista (Unesp). Faculdade de Medicina. Botucatu
Data de defesa:
Orientador: Patricia Pintor dos Reis; Sandra Drigo Linde
Resumo

Introdução: Alterações genéticas foram previamente identificadas e associadas ao desenvolvimento e progressão dos carcinomas pancreáticos, entretanto, o conhecimento dessas alterações não resultou, até o momento, no desenvolvimento de tratamentos eficazes para os pacientes com essas neoplasias. Sendo assim, torna-se necessária e justificada a identificação de outras alterações, tais como alterações em moléculas reguladoras da expressão gênica, as quais têm o potencial de levar ao delineamento de novas terapias. Estudos recentes têm sugerido que os microRNAs (miRNAs) estão frequentemente desregulados em diversos carcinomas, e podem contribuir em várias etapas do desenvolvimento e progressão tumoral. A análise do perfil de expressão de miRNAs em carcinomas de pâncreas e genes regulados por estes miRNAs, deve fornecer novas direções para a identificação de biomarcadores que possam ser úteis na prática clínica. Objetivos: Identificar perfis globais de expressão de microRNAs (miRNAs) e potenciais genes-alvo regulados por miRNAs em carcinomas de pâncreas. Pacientes e Métodos: Foram incluídas 30 amostras de tecido, fixadas em formalina e emblocadas em parafina (FFPE) de carcinoma de pâncreas, sendo 24 adenocarcinomas de ductos pancreáticos (PDAC) e 6 adenocarcinomas de papila de Vater (AMP) e os tecidos histologicamente normais, adjacentes ao tumor, correspondentes a cada caso. O perfil de expressão de miRNAs das amostras tumorais foi determinado utilizando o ensaio TaqMan Array Human MicroRNA Cards (TLDA) (card A, v3.0) (Life Technologies). A análise dos dados utilizou o programa ExpressionSuite Software v1.0.3. A análise estatística dos dados de expressão de miRNAs e dados clínico-anatomopatológicos utilizou o programa SAS 9.3. Análises computacionais utilizando algorítimos de bioinformática foram realizadas com o objetivo de identificar genes-alvo regulados por miRNAs, bem como redes de interação protéica e vias moleculares envolvendo genes e miRNAs. Resultados: Foram identificados 63 miRNAs desregulados em PDAC, sendo 33 com expressão aumentada e 30 com expressão diminuída, quando comparado com tecido histologicamente normal adjacente ao tumor. Nos carcinomas AMP, um grupo de 7 miRNAs estavam desregulados, sendo 4 com expressão aumentada e 3 com expressão diminuída. Nossos resultados indicam uma complexidade de alterações associadas à tumorigênese dos adenocarcinomas ductais pancreáticos, devido ao grande número de miRNAs e genes-alvo desregulados nesses tumores. Interessantemente, 3/7 miRNAs identificados como desregulados em carcinomas AMP estão comumente alterados nos PDAC. Discussão: O perfil de expressão global de miRNAs identificado em PDAC e carcinomas AMP revelou que os PDACs apresentam um número significativamente maior de miRNAs desregulados, o que pode estar diretamente associado a um maior grau de progressão e maior agressividade tumoral comparado com os carcinomas AMP. A identificação de 3 miRNAs comumente alterados em PDAC e carcinomas AMP sugere que vias moleculares comuns podem estar desreguladas nesses subtipos histológicos tumorais. Dentre os miRNAs alterados exclusivamente nos PDACs, identificamos que esses regulam vários genes associados à invasão tecidual, metástase e pior prognóstico de pacientes com câncer. Conclusão: Os miRNAs identificados estão potencialmente associados à biologia tumoral dos PDAC e carcinomas AMP. Estudos de validação funcional são necessários para elucidar o papel dos miRNAs como moduladores de mecanismos de oncogênese em PDAC e carcinomas AMP. (AU)

Processo FAPESP: 14/00367-4 - MicroRNoma do carcinoma de pâncreas
Beneficiário:Tainara Francini Felix
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado