Busca avançada
Ano de início
Entree


Avaliação dos efeitos deletérios de fármacos psicotrópicos sobre o desenvolvimento dos estágios embrio-larvais de zebrafish

Texto completo
Autor(es):
Maíra Rocha de Souza Prado
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Ribeirão Preto.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto
Data de defesa:
Membros da banca:
Danielle Palma de Oliveira; Evaldo Luiz Gaeta Espindola; Mônica Valdyrce dos Anjos Lopes Ferreira; Gisele Augusto Rodrigues de Oliveira
Orientador: Danielle Palma de Oliveira
Resumo

Nos últimos anos, a prescrição e o consumo de medicamentos psicotrópicos vêm aumentando ao redor do mundo, crescendo assim a presença destes compostos em efluentes. Embora os esgotos domésticos e hospitalares em geral sejam encaminhados para as Estações de Tratamento de Esgotos (ETEs), o tratamento convencional aplicado não é eficiente na remoção da maioria dos fármacos e, consequentemente, estes poluentes alcançam os corpos hídricos. Frente a essas informações, é importante entender os possíveis danos causados tanto para seres humanos, como para o ecossistema como um todo, após a exposição a esses fármacos, por meio da água contaminada. Desta maneira, nossa hipótese é que os fármacos psicotrópicos presentes em amostras de água possam induzir a danos neuronais e no desenvolvimento de organismos não alvo, como peixes. Para responder a esta hipótese, avaliamos os efeitos teratogêncios e neurotóxicos de fármacos psicotrópicos como venlafaxina, haloperidol, carbamazepina e fluoxetina, por meio da análise de parâmetros de letalidade e sub-letalidade nos em Danio rerio, visando a determinação dos possíveis efeitos teratogênicos. Adicionalmente, utilizamos a determinação da atividade da enzima acetilcolinesterase como biomarcador de neurotoxicidade em larvas, após a exposição dos embriões e a avaliação do padrão de movimentação. Os fármacos foram testados individualmente e em misturas, para avaliar os efeitos da co-exposição, simulando um cenário mais real de contaminação aquática. Os resultados mostraram que os fármacos carbamazepina e venlafaxina não apresentaram nenhum dos efeitos analizados de forma estatisticamente significativa. Já os fármacos haloperidol e fluoxetina, mesmo não apresentando efeito sobre a teratogenicidade e movimentação, provocaram um aumento na atividade enzimática, em doses consideradas bastante baixas. Considerando que esta estimulação inicial voltou a níveis próximos ao controle negativo e, no caso da fluoxetina, um estudo inibição da atividade em doses mais altas, sugerimos a manifestação de hormesis. A mistura dos fármacos não apresentou efeito significativo nas avaliações realizadas, mostrando que o aumento da atividade enzimática dfoi antagonizado na quando em mistura. Nosso trabalho mostra a importância do estudo de toxicidade em doses baixas, para que uma correta avaliação do risco seja possível. (AU)

Processo FAPESP: 16/08042-2 - Avaliação dos efeitos deletérios de fármacos psicotrópicos sobre o desenvolvimento dos estágios embrio-larvais de zebrafish
Beneficiário:Maíra Rocha de Souza Prado
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado