Busca avançada
Ano de início
Entree


Os espaços experimentais das escolas públicas de arquitetura do Brasil: realidade ou utopia?

Texto completo
Autor(es):
Albenise Laverde
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU/SBI)
Data de defesa:
Membros da banca:
Claudia Terezinha de Andrade Oliveira; Maria Amélia Devitte Ferreira D'Azevedo Leite; Henrique Lindenberg Neto; João Marcos de Almeida Lopes; Ivan Manoel Rezende do Valle
Orientador: Claudia Terezinha de Andrade Oliveira
Resumo

Esta tese está inserida no debate sobre a utilização da experimentação construtiva ao longo da concepção da materialidade e seu papel como recurso pedagógico. Trata mais especificamente, dos espaços e práticas experimentais no contexto acadêmico nacional, objetivando compreender o processo de configuração dos espaços da área técnico-construtiva implantados nas escolas públicas de arquitetura de acordo com as particularidades advindas de diferentes contextos do país, das políticas educacionais e das ações dos atores envolvidos, com a identificação das condições essenciais para que estas práticas sejam implantadas e potencializadas no contexto acadêmico. O trabalho foi desenvolvido a partir de pesquisas documentais e por meio de visitas técnicas realizadas em 21 escolas públicas de arquitetura localizadas em diferentes regiões do país, com entrevistas direcionadas aos principais atores que atualmente estão à frente da área da Tecnologia da Construção. O trabalho trouxe contribuições de ordem teórica a partir da sistematização de uma bibliografia abrangente sobre um tema pouco estudado no contexto nacional. Quanto às contribuições de ordem prática, os dados obtidos nas visitas técnicas possibilitaram contextualizar os desafios enfrentados no ensino da Tecnologia da Construção, que não se resumem ao arranjo físico laboratorial, mas a uma dimensão mais ampla, abrangendo aspectos político-educacionais, estruturais e sócio-econômicos e também, questões de fundo, como as relações interpessoais e burocráticas. Estes resultados permitiram identificar as condições consideradas como essenciais na (re)formulação de estratégias voltadas à área da Tecnologia da Construção e sua infraestrutura, de maneira que as experiências existentes possam ser potencializadas e novas implantações tenham maior respaldo técnico de acordo com as particularidades contextuais. (AU)