Busca avançada
Ano de início
Entree


Conhecimento, religiosidade, medo, qualidade de vida e outras variáveis de interesse associadas à prática da doação de sangue

Texto completo
Autor(es):
Miriane Lucindo Zucoloto
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: Ribeirão Preto.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto
Data de defesa:
Membros da banca:
Edson Zangiacomi Martinez; Laercio Joel Franco; Claudia di Lorenzo Oliveira; Gil Cunha de Santis
Orientador: Edson Zangiacomi Martinez
Resumo

Objetivos: O objetivo principal deste trabalho foi avaliar a contribuição do conhecimento, da religiosidade, do medo, da qualidade de vida, dos grupos de referência e de variáveis sociodemográficas e comportamentais na prática da doação de sangue em uma amostra representativa da população de usuários de atenção primária à saúde do município de Ribeirão Preto, São Paulo. Como objetivos específicos, propôs-se uma versão em português da Blood or Injection Fear Scale e desenvolveu-se um instrumento para a avaliação do conhecimento sobre a doação de sangue na população brasileira denominado Blood Donation Knowledge Questionnaire (BDK-Brazil). As propriedades métricas desses instrumentos também foram avaliadas. Métodos: Tratou-se de estudo transversal com amostragem aleatória estratificada. As 41 unidades básicas de saúde do município foram agrupadas em 12 estratos, de acordo com a área geográfica e o Índice Paulista de Vulnerabilidade Social (IPVS). O tamanho amostral calculado para o estudo foi de 1,054 entrevistas. Os participantes responderam perguntas sobre a prática da doação de, conhecimento sobre a doação, religiosidade, medo, qualidade de vida e variáveis sociodemográficas e comportamentais. Para responder ao objetivo principal do estudo os dados foram incluídos em um modelo de equações estruturais e a prática da doação foi considerada a variável dependente (construto central). O modelo estrutural foi avaliado por meio de matriz de correlações policóricas. O ajuste do modelo foi analisado considerando-se os índices de qualidade do ajustamento e a significância dos caminhos causais (?), avaliados pelos testes z, considerando um nível de significância de 5%. Resultados: a doação de sangue foi mais frequente no sexo masculino e entre indivíduos maior nível socioeconômico e educacional. Entre os que nunca doaram sangue, maiores frequências de participantes do sexo feminino, mais jovens, de menor nível socioeconômico, solteiros e sem religião foram detectadas. No modelo estrutural, as variáveis medo, conhecimento e as variáveis sociodemogáficas idade, sexo, nível econômico e educacional foram significativas. Conclusão: Os8 resultados do nosso estudo sugerem associação da prática da doação de sangue com o medo de sangue, injeções e reações vasovagais, com o conhecimento e com variáveis sociodemogáficas como sexo, idade, nível econômico e escolaridade. O medo foi considerado uma barreira relevante para a decisão de doar sangue, bem como a falta de conhecimento sobre o processo da doação. Além disso, há evidências que entre os usuários de atenção primária à saúde, o grupo menos propenso a doar sangue é formado pelas mulheres, os mais jovens e com menor nível socioeconômico e educacional (AU)

Processo FAPESP: 14/14020-6 - Conhecimento, religiosidade, medo, qualidade de vida e outras variáveis de interesse associadas à prática da doação de sangue
Beneficiário:Miriane Lucindo Zucoloto
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado