Busca avançada
Ano de início
Entree


Estudo do papel de TGF-ß1 no carcinoma diferenciado da tireoide

Texto completo
Autor(es):
Karina Colombera Peres
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Data de defesa:
Resumo

Nódulos tireoidianos são frequentemente identificados na prática clínica, apresentando significativo aumento nas últimas décadas. O diagnóstico do CDT através da análise citológica pela PAAF, apesar de apresentar alta acurácia, possui deficiências: de 15-20% das amostras submetidas à análise citológica são classificadas como insatisfatórias/não diagnósticas ou lesões de significado indeterminado levando o paciente a uma tireoidectomia para esclarecer o diagnóstico. O fator de transformação do crescimento-ß (TGF-ß) é uma citocina multifuncional que atua em diferentes e importantes funções biológicas e na regulação do sistema imune. Sua sinalização ocorre através de dois receptores transmembrana: o receptor tipo I (TßRI) e o receptor tipo II (TßRII). Diversos estudos têm reportado a perturbação ou perda da sinalização de TGF-ß1 e seus receptores no câncer, assim como polimorfismos nestes genes são frequentemente investigados e associados a diversas patologias. O objetivo deste trabalho foi investigar a utilidade dos genes TGFB1, TGFBR1 e TGFBR2 como marcadores de diagnóstico e/ou prognóstico em pacientes com nódulos tireoidianos, buscando correlacionar os resultados com características clínico-patológicas. Para investigação dos polimorfismos de TGFB1 (rs1800469, rs1800472, rs11466321, rs2241716, rs8110090), TGFBR1 (rs10512263, rs7850895) e TGFBR2 (rs2228048) foram avaliados 339 pacientes com nódulos malignos e benignos da tireoide pela técnica de Taqman SNP Genotyping e 141 amostras de tecidos normais, malignos e benignos para expressão de RNAm dos genes supracitados por PCR quantitativa. Os polimorfismos, rs1800469 e rs1800472, do gene TGFB1 demonstraram correlação do genótipo alterado com características de agressividade do tumor como ausência de cápsula e metástase linfonodal ao diagnóstico, respectivamente. O polimorfismo rs10512263 do gene TGFBR1 demonstrou associação do genótipo alterado com ausência de invasão. A expressão gênica de TGFB1 foi maior em tecidos malignos, assim como TGFBR1, mas não TGFBR2. Em conclusão, nossos dados demonstram que a expressão gênica de TGFB1 pode ser uma ferramenta útil para auxiliar no diagnóstico de nódulos benignos da tireoide e polimorfismos do gene TGFB1 e de seu receptor TGFBR1, mas não de TGFBR2, podem auxiliar no prognóstico de pacientes com CDT (AU)

Processo FAPESP: 15/19117-0 - Estudo do papel de TGF-²1 no carcinoma diferenciado de tireóide
Beneficiário:Karina Colombera Peres
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado