Busca avançada
Ano de início
Entree


Avaliação in vitro e in situ da eficácia de diferentes lasers no aumento da resistência ácida do esmalte em regiões de sulcos e fissuras

Texto completo
Autor(es):
Alessandra Marques Corrêa Afonso
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: Ribeirão Preto.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (PCARP/BC)
Data de defesa:
Membros da banca:
Regina Guenka Palma Dibb; Luciano Bachmann; Marilia Afonso Rabelo Buzalaf; Carina Sinclér Delfino; Silvio Issáo Myaki
Orientador: Regina Guenka Palma Dibb
Resumo

O objetivo desse estudo foi avaliar in vitro e in situ a efetividade de irradiação dos lasers Er:YAG, Nd:YAG e CO2 no aumento da resistência ácida do esmalte em regiões de sulcos e fissuras. Para o estudo in vitro foram utilizados molares humanos em fragmentos da porção oclusal de 8mmx4mm divididos em 3 grupos de acordo com o tipo de tratamento : Grupo 1 - Er:YAG; Grupo 2 - Nd:YAG; Grupo 3 - CO2 (n=15). O tratamento de superfície foi feito apenas em metade da área do fragmento, sendo que a outra metade foi considerada controle. As áreas expostas ao desafio cariogênico (14mm2) foram submetidas a ciclagens de pH. Para o testede microdureza os espécimes foram seccionados ao meio e a parede da secção é que sofreu o teste, a outra metade foi utilizada para análise em microscopia de luz polarizada para a medição da área da lesão de desmineralização e análise em MEV para verificar as alterações na morfologia do tecido dentário. As análises dos dados de microdureza (HKN) e área das lesões (mm2) foram feitas com o teste de Wilcoxon para a comparação interna de cada grupo com o seu controle e a comparação entre os grupos utilizou ANOVA para as áreas das lesões e Kruskal Wallis para a microdureza (&alpha; = 5%). Foi observada apenas diferença estatística significante para as amostras do grupo irradiado com laser CO2 entre as partes controle e experimental. Os demais grupos não apresentaram diferença estatisticamente significante com sua área controle. Na análise das medidas de lesão foram observadas diferença estatística significante para as amostras do grupo irradiado com os lasers CO2 e Nd:YAG com suas partes controles, sendo as medidas de área de lesão apresentadas pela área irradiada inferiores a área controle. Na análise em MEV o grupo irradiado com laser CO2 mostrou ausência de exposição dos prismas de esmalte e modificação de superfície na área irradiada. Para o estudo in situ foram utilizados molares humanos em fragmentos da porção oclusal de 4mmx4mm tratados com os 3 diferentes tipos de laser: Grupo 1 - controle (sem tratamento); Grupo 2 - Er:YAG; Grupo 3 - Nd:YAG; Grupo 4 - CO2 (n=15). Os espécimes foram adaptados a um dispositivo intrabucal que foi utilizado pelos voluntários durante 14 dias. Para o desafio cariogênico gotejou-se solução de sacarose 20% sobre os espécimes. Assim como no estudo in vitro, foram realizados o teste de microdureza, análise em microscópio de luz polarizada e análise em MEV. Para a análise dos dados de microdureza (HKN) foi utilizada ANOVA e teste de Fisher LSD (&alpha;= 5%). Foi observada diferença estatística significante para as amostras do grupo irradiado com laser CO2 e Nd:YAG, que apresentaram maiores valores de microdureza do que o grupo controle e não foram diferentes estatisticamente entre si. Os valores de microdureza observados em profundidade foram maiores proporcionalmente a distância da superfície, ou seja, 20&micro;m <30&micro;m <40&micro;m <50&micro;m. Na análise em microscopia de luz polarizada a análise foi feita com teste de Wilcoxon e todos os grupos apresentaram semelhança estatística. Considerando os resultados obtidos nos dois estudo pode-se concluir que os lasers CO2 e Nd:YAG foram capazes de promover aumento de resistência ácida no esmalte dental localizado nas superfície de sulcos e fissuras. (AU)