Busca avançada
Ano de início
Entree


Efeito da fragmentação florestal no Estado de São Paulo na interação de Ficus eximia Schott e suas vespas associadas

Texto completo
Autor(es):
Ludmila Maria Rattis Teixeira
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Ribeirão Preto.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto
Data de defesa:
Membros da banca:
Rodrigo Augusto Santinelo Pereira; Rita de Cássia Bianchi; Milton Cezar Ribeiro
Orientador: Rodrigo Augusto Santinelo Pereira
Resumo

Frente ao intenso processo de fragmentação florestal sofrido no Brasil, este trabalho avaliou o efeito da fragmentação de Florestas Estacionais Semideciduais no Estado de São Paulo sobre a interação Ficus eximia e vespas (polinizadoras e não-polinizadoras). A abordagem foi realizada em duas escalas, (1) Na paisagem, com comparações entre os dados encontrados nas regiões de Teodoro Sampaio (menos fragmentada); Gália (intermediária) e Ribeirão Preto (mais fragmentada); e (2) Na escala local, considerando as características da paisagem no entorno das plantas amostradas. As questões investigadas foram: (a) Existe limitação de pólen em paisagens muito degradadas? (b) A estrutura da comunidade de vespas varia de acordo com o nível de fragmentação e distúrbio dos hábitats? (c) Possíveis limitações de pólen ou parasitismo por vespas não-polinizadoras comprometem os componentes primários de fecundidade das figueiras nas paisagens mais fragmentadas? Para responder tais questões, coletamos figos na fase interfloral (após a entrada da polinizadora e antes da maturação das sementes e prole) e figos em fase próxima à emergência das vespas. Os resultados mostraram que não houve indícios de limitação de vespas polinizadoras em nenhuma das paisagens estudadas. As comunidades apresentaram padrão aninhado, ou seja, a comunidade mais pobre em espécies Teodoro Sampaio representou uma subamostra das comunidades mais ricas Ribeirão Preto e Gália. A disponibilidade de vespas polinizadoras parece ser maior na paisagem mais fragmentada. As vespas parasitas inquilinas afetaram negativamente as produções de sementes e polinizadores em Ribeirão Preto; as vespas galhadoras também afetaram negativamente a produção de sementes em Gália e a produção de sementes e polinizadores em Teodoro Sampaio. No entanto, não foram detectadas, em geral, relações significativas entre as variáveis relacionadas ao potencial reprodutivo das figueiras e as características das paisagens estudadas. O presente estudo mostrou que o mutualismo Ficus-vespas de figo parece ser robusto às alterações da paisagem em escala subcontinental. O sistema reprodutivo alógamo das figueiras, com polinização biótica aprimorada pelo vento torna esse sistema biológico bastante insensível às modificações ambientais em pequena escala. (AU)

Processo FAPESP: 08/52378-9 - Efeito da fragmentação florestal N‚O Estado de São Paulo ná interação dè Ficus eximia Schott e suas vespas (Hym. Chalcidoidea) associadas
Beneficiário:Ludmila Maria Rattis Teixeira
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado