Busca avançada
Ano de início
Entree


Atividade física e sua associação com o ambiente em idosos residentes no distrito de Ermelino Matarazzo da zona leste do município de São Paulo

Texto completo
Autor(es):
Emanuel Péricles Salvador
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Saúde Pública
Data de defesa:
Membros da banca:
Alex Antonio Florindo; Carlos Augusto Monteiro; Rodrigo Siqueira Reis
Orientador: Alex Antonio Florindo
Resumo

RESUMO Introdução: Estudos internacionais mostram que o ambiente está associado com a prática de atividades físicas em adultos e idosos. Todavia, não existem estudos que tenham avaliado essa associação na população idosa do Brasil. Objetivo: Estudar a associação entre as atividades físicas praticadas no lazer e como forma de locomoção com variáveis ambientais em idosos residentes no distrito de Ermelino Matarazzo da Zona Leste do município de São Paulo. Metodologia: 380 idosos (60 anos e mais) participaram do estudo transversal de base domiciliar. Para a avaliação das atividades físicas no lazer e como forma de locomoção foi utilizado o questionário IPAQ (Questionário internacional de atividades físicas) versão longa e para a avaliação das atividades físicas domésticas e no trabalho foi utilizado o questionário do VIGITEL (Vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico), além de outras questões inclusas especificamente para o estudo. A avaliação do ambiente foi realizada através de uma escala de percepção adaptada da escala NEWS (Neighborhood Environmental Walkability Scale). Para a análise estatística, seis modelos de análise de regressão logística múltipla foram criados para verificar a associação dos diferentes domínios de atividades físicas (variáveis dependentes: atividades físicas no lazer; atividades físicas de locomoção; caminhada no lazer ou na locomoção) com as variáveis de percepção do ambiente (variáveis independentes), controladas por sexo, idade, estado civil, tabagismo, escolaridade, trabalho e presença de dores. Três modelos adotaram como variável dependente o critério de 150 minutos de atividade física semanal, enquanto os outros três modelos adotaram como variável dependente a realização de pelo menos dez minutos de atividade física semanal. Resultados: A proporção de idosos fisicamente ativos foi de 35,4%, 14,7% e 43,2% para atividade física de locomoção, atividade física de lazer e caminhada no lazer ou como forma de locomoção, respectivamente. A presença de parques, o recebimento de convite de parentes para praticar atividades físicas e o trânsito não sendo considerado como uma barreira para praticar atividades físicas foram associadas com a prática de 150 minutos por semana de atividades físicas de locomoção. A presença de igrejas ou templos religiosos nas proximidades das casas, a presença de farmácias a até 10 minutos de caminhada das casas e a presença de boa iluminação pública nas ruas foram associadas com alguma prática (de 10 a 149 minutos por semana) de atividades físicas de locomoção. A presença de calçadas foi associada com alguma prática (de 10 a 149 minutos por semana) de atividades físicas no lazer. A presença de farmácias, presença de boa iluminação pública nas ruas e a presença de pontos de ônibus a até 10 minutos de caminhada das casas foram associadas com alguma prática (de 10 a 149 minutos por semana) de caminhada como forma de locomoção ou de lazer. Conclusão: Programas de promoção de atividades físicas para a população idosa devem considerar as variáveis relacionadas ao ambiente construído (presença de calçadas), ao ambiente natural (parques e áreas verdes), à segurança, trânsito de veículos, à iluminação pública e a pontos de comércio, de serviços e de convívio social e ao suporte social de parentes. (AU)

Processo FAPESP: 06/53767-3 - Atividade física e sua relação com o meio ambiente na população idosa do distrito de Ermelino Matarazzo da zona leste de São Paulo
Beneficiário:Emanuel Péricles Salvador
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado