Busca avançada
Ano de início
Entree


O pequeno investidor na bolsa de valores: uma análise da ação e da cognição econômica

Texto completo
Autor(es):
Eduardo Vilar Bonaldi
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Data de defesa:
Membros da banca:
Sylvia Gemignani Garcia; Roberto Grun; Nadya Araujo Guimaraes
Orientador: Ruy Gomes Braga Neto
Resumo

A presente pesquisa tomou por objeto os investidores pessoa física no mercado de ações brasileiro. Este universo de investidores comumente denomina-se e é igualmente denominado - pelas demais instâncias e agentes do mercado financeiro como \'pequenos investidores\', independentemente do capital de que dispõe para seus investimentos acionários, da experiência ou do conhecimento que possuem sobre a bolsa de valores. A pesquisa desenvolve uma análise sobre como fatores sociais, culturais e tecnológicos modelam, afetam e influenciam a ação e a cognição econômica neste universo particular de investidores. Onze entrevistas semi-estruturadas foram realizadas com pequenos investidores, duas com profissionais que atuam na área de \'educação\' do pequeno investidor, acompanhamos igualmente palestras e work-shops destinados a este público, bem como sites, fóruns de Internet e palestras virtuais frequentados por este público investidor. A análise deste material empírico conjugada ao estudo da bibliografia própria à área da Sociologia Econômica resultou na identificação e no estabelecimento de cinco instâncias de modelação da ação econômica, cinco espaços de mediação nos quais os indivíduos desenvolvem e exercem seus modos de operação prática neste mercado a partir de fatores ou dimensões sociais, culturais e tecnológicas. Estas cinco instâncias podem ser resumidas da seguinte maneira: 1. influência dos agentes e das iniciativas voltadas à educação do pequeno investidor em bolsa de valores, 2. o impacto das redes sociais para a operação prática dos pequenos investidores, 3. a conformação de estilos de operação e de tomada de riscos na bolsa ( grosso modo, \'conservadores\' ou \'arrojados\') a partir de identidades ou papeis sociais reivindicados e assumidos pelos pequenos investidores, 4. o papel de softwares e tecnologias que assessoram e equipam o pequeno investidor e, finalmente, 5. a constante associação entre o investimento em bolsa e o universo cultural dos jogos. Em oposição ao paradigma neoclássico das ciências econômicas, o estudo concluí que, em suas tentativas de cálculos e maximizações racionais, os indivíduos não são unidades auto-referenciadas e/ou auto-suficientes, ao contrário, seus cálculos e maximizações são constituídos a partir de fatores ou dimensões sociais, culturais e tecnológicas. (AU)

Processo FAPESP: 08/51673-7 - Pequenos investidores na bolsa brasileira: uma analise da cognicao economica.
Beneficiário:Eduardo Vilar Bonaldi
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado