Busca avançada
Ano de início
Entree


Implante Coclear em crianças com paralisia cerebral

Texto completo
Autor(es):
Maria Jaquelini Dias dos Santos
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Bauru.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB/SDB)
Data de defesa:
Membros da banca:
Katia de Freitas Alvarenga; Dionisia Aparecida Cusin Lamonica; Maria Valeriana Leme de M Ribeiro
Orientador: Maria Cecilia Bevilacqua
Resumo

Devido à segurança e resultados promissores observados no cenário da reabilitação auditiva por meio do implante coclear (IC), os critérios de indicação do IC puderam abranger outras crianças com desabilidades associadas à deficiência auditiva. Entre os grupos de crianças com desabilidades associadas à deficiência auditiva, destacam-se as crianças com paralisia cerebral como o grupo com melhores resultados após o IC. Este trabalho teve como objetivos estudar os resultados em audição, linguagem e comunicação após o uso do IC em crianças com PC e investigar se aspectos do desenvolvimento motor, desempenho funcional e nível de independência nas atividades de vida diária possuem relações no progresso com o IC. A casuística foi formada por um grupo de oito crianças com PC e usuárias de IC por no mínimo seis meses. As crianças foram avaliadas três vezes, com tempo total de acompanhamento de 24 meses. Os aspectos avaliados foram: audição, linguagem, comunicação, desenvolvimento motor, nível de independência e desempenho funcional em atividades diárias de Autocuidado (AC), Mobilidade (MOB) e Função Social (FS). Os principais procedimentos utilizados na avaliação foram: Categorias de Audição, Categorias de Linguagem Expressiva, Observação do Comportamento Comunicativo (OCC), Denver Development Screening Test (DDST II), Inventário de Avaliação Pediátrica de Incapacidade (PEDI). Todas as crianças apresentaram evolução com o implante coclear, quanto aos aspectos de audição, linguagem e comunicação, porém com ritmos diferentes. O desenvolvimento motor e o desempenho funcional em AC, MOB, e FS apresentaram progressos significativos entre os tempos de avaliação. O nível de independência, ou seja, a assistência do cuidador não apresentou evoluções significativas. Crianças com melhores pontuações na área de Linguagem do DDST II apresentaram as melhores pontuações na OCC e nas categorias de audição; bem como outras associações entre o desempenho auditivo e a função motora, social e habilidades de AC foram observadas. Houve progresso com o implante coclear para crianças com paralisia cerebral, porém de maneira individual para cada criança. A mensuração de aspectos de funcionalidade possibilitou a análise do desenvolvimento global da criança, análise esta importante para caracterizar a criança com paralisia cerebral e enriquecer as orientações dos pais. O IC pode proporcionar benefícios em audição e linguagem, os quais são os principais fatores para que seja possível estabelecer uma forma de comunicação. A habilidade de se comunicar favorece e atua como ponto principal na inclusão social de crianças com paralisia cerebral, e atua melhorando a qualidade de vida. (AU)

Processo FAPESP: 10/03202-5 - Implante coclear em crianças com paralisia cerebral
Beneficiário:Maria Jaquelini Dias dos Santos
Modalidade de apoio: Bolsas no Brasil - Mestrado