Busca avançada
Ano de início
Entree


Estudo cardiorrespiratório comparativo da anestesia geral inalatória com o sevofluorano em cadela não-gestantes e no terço final da gestação, pré-tratados com acepromazina e propofol

Texto completo
Autor(es):
Lídia Mitsuko Matsubara
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Botucatu. 2014-06-11.
Instituição: Universidade Estadual Paulista (Unesp). Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia. Botucatu
Data de defesa:
Orientador: Valeria Nobre Leal de Souza Oliva
Resumo

Amplos conhecimentos existem a respeito da anestesia em mulheres gestantes, mas na medicina veterinária há escassez de informação científica a respeito deste tema. Este trabalho estudou as alterações cardiocirculatórias e respiratórias decorrentes da gestação em cadelas, comparando os efeitos da anestesia inalatória na cadela não-gestante e aos 45 dias de gestação. Foram avaliados os efeitos da anestesia inalatória com a utilização do sevofluorano por meio do monitoramento dos sistemas cardiorrespiratório da mãe e cardíaco dos fetos, além da realização de exames laboratoriais como: hemogasometria, hemograma e bioquímicos séricos. Para tanto foram utilizadas nove cadelas, sem raça definida, adultas, com 1 a 5 anos de idade. Os animais foram submetidos ao mesmo procedimento anestésico utilizando os fármacos acepromazina, propofol e sevofluorano, em dois períodos distintos, sendo o primeiro período na condição não-gestante e o segundo aos 45 dias de gestação. Não ocorreram alterações significativas na f, ETCO2, SatO2, nas variáveis hemogasométricas com exceção do pH, na concentração de sevofluorano no vaporizador e no tempo de recuperação anestésica entre os grupos ou entre os momentos. A freqüência cardíaca materna elevou-se na paciente gestante apenas no momento basal e 15 minutos após a MPA. Observou-se diminuição significativa da pressão arterial na paciente gestante, assim como da temperatura retal. Os valores de eritrócitos, hemoglobina, volume globular e albumina também diminuíram significativamente na paciente com 45 dias de gestação. Concluiu-se que o protocolo anestésico com o sevofluorano causa poucas alterações nas variáveis cardiocirculatórias e respiratórias na cadela com 45 dias de gestação, podendo ser utilizado no caso de necessidade de intervenção cirúrgica e/ou anestésica. (AU)