Busca avançada
Ano de início
Entree


Estudo tomográfico do encéfalo de cães dolicocefálicos, mesaticefálicos e branquicefálicos clinicamente sadios

Texto completo
Autor(es):
Danuta Pulz Doiche
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Botucatu. 90 f.
Instituição: Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia.
Data de defesa:
Membros da banca:
Masao Iwasaki; Rogério Martins Amorim
Orientador: Luiz Carlos Vulcano
Resumo

A Tomografia Computadorizada (TC), juntamente com a Ressonância Magnética, são modalidades de diagnóstico por imagem avançadas, consideradas de escolha para a avaliação do sistema nervoso, por fornecerem imagens livres de sobreposições e detectarem pequenas diferenças de densidade tecidual. Dentro de qualquer estudo, o conhecimento das possíveis formas de apresentação de cada estrutura e a determinação do limite entre o fisiológico e o alterado são fundamentais para um estudo preciso. O presente trabalho teve como objetivo a descrição dessas variações nas imagens tomográficas do encéfalo, no que diz respeito aos ventrículos laterais e atenuação do parênquima encefálico e cerebelar entre os grupos aqui estipulados (grupo dolicocefálico composto por cães pastores Alemães, grupo mesaticefálico composto por Rottweilers e grupo braquicefálico compostos por cães da raça Boxer) e assim enriquecer a avaliação cerebral à TC e minimizar erros de interpretação. Foram detectadas diversas diferenças individuais e entre os grupos à avaliação qualitativa. Quantitativamente, houve diferença da altura ventricular entre os braquicefálicos e os demais, mostrando que ainda não é possível apenas uma faixa de valores da altura ventricular comum a todos os cães, e que, para as raças braquicefálicas o valor da razão da altura ventricular e encefálica até 25% pode servir como limite superior nos animais hígidos. Os valores de atenuação finais na fase pré-contraste são compatíveis com trabalhos anteriores, o bulbo olfatório e o cerebelo apresentaram-se diferentes estatisticamente em relação aos demais locais. A única raça que teve nas fases simples e contrastada diferenças estatísticas em todos os locais foram os animais do grupo B (AU)

Processo FAPESP: 09/06899-0 - Estudo normal comparativo das estruturas e córtex cerebral à tomografia computadorizada em cães dolicocefálicos, mesaticefálicos e braquicefálicos
Beneficiário:Danuta Pulz Doiche
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado