Busca avançada
Ano de início
Entree


Estudo quantitativo da infecção por Babesia bovis e Babesia bigemina em diferentes grupos genéticos de bovinos de corte

Texto completo
Autor(es):
Talita Barban Bilhassi
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Jaboticabal. 75 f.
Instituição: Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias.
Data de defesa:
Membros da banca:
Maria Eugênia Zerlotti Mercadante; Gilson Pereira de Oliveira
Orientador: Henrique Nunes de Oliveira; Márcia Cristina de Sena Oliveira
Resumo

A Reação em Cadeia da Polimerase Quantitativa em Tempo Real (qPCR) foi utilizada para avaliar o nível de infecção por Babesia bovis e Babesia bigemina em bovinos de corte. Foram utilizados 149 animais, sendo 74 bezerros e 75 vacas de três grupos genéticos diferentes (puros Bos indicus, ½ Bos indicus + ½ Bos taurus e puros Bos taurus). Os resultados obtidos foram analisados com o objetivo de verificar se ocorrem variações entre os grupos genéticos e faixas etárias estudadas quanto ao nível de infecção por babesias. De cada bovino foram colhidas amostras de sangue da veia jugular e vasos periféricos, para extração de DNA, determinação do volume globular (VG) e confecção de esfregaços sanguíneos. As amostras de DNA extraídas de sangue venoso, colhidas com anticoagulante EDTA foram submetidas à amplificação pela técnica de qPCR, utilizando sequências iniciadoras específicas para B. bovis e B.bigemina. Pelo exame microscópico de esfregaços sanguíneos verificou-se que, nenhum animal adulto apresentou parasitemia patente por Babesia spp. Nos bezerros foram diagnosticados 10,8% de infecção por B. bigemina (8/74), sendo 26,1%, 3,8% e 4% para os grupos genéticos Angus, cruzados e Nelore, respectivamente. A taxa de infecção por B. bovis diagnosticados pela técnica de qPCR nos bovinos estudados foi de 98,0% (146/149), sendo 100,0%, 98,0% e 96,0% para os grupos genéticos Angus, cruzados e Nelore, respectivamente. As análises estatísticas do nível de infecção medido pelo número de cópias de DNA alvo nas amostras mostraram significância (P<0,05) dos três fatores avaliados: grupo genético, categoria e a interação entre eles. Foi possível observar ainda que bovinos Bos taurus apresentaram maior suscetibilidade às infecções por Babesia bovis e que a quantidade de DNA alvo desta... (AU)

Processo FAPESP: 09/12961-0 - Estudo quantitativo da infecção por Babesia bovis e Babesia bigemina em diferentes grupos genéticos de bovinos de corte
Beneficiário:Talita Barban Bilhassi
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado