Busca avançada
Ano de início
Entree


Desempenho ecofisiológico de Styrax ferrugineus, S. camporum E. S. pohlii (Styraceae), submetidos à deficiência híbrida em sistema semi controlado

Texto completo
Autor(es):
Eduardo Borges da Veiga
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Botucatu. 37 f.
Instituição: Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Instituto de Biociências (Campus de Botucatu).
Data de defesa:
Membros da banca:
Gustavo Maia Souza; Carlos Henrique Britto de Assis Prado
Orientador: Gustavo Habermann
Resumo

Aqui analisamos as diferenças entre plantas irrigadas e não irrigadas de três espécies congenéricas de Styrax que apresentam distribuições geográficas distintas no cerrado, Brasil. Styrax ferrugineus mostrou condutância estomática (gs) não-responsiva à deficiência hídrica do solo aplicada em plantas envasadas. Isso pode explicar as maiores eficiências de trocas gasosas e fotoquímicas encontradas em S. ferrugineus, uma espécie bem adaptada ao cerrado sensu stricto (s. str.) que é um tipo de vegetação savânica. S. camporum, que é amplamente distribuída nas áreas de cerrado sensu lato (s.l.), foi a única espécie que aumentou as eficiências de uso da água nos dias de maior deficiência hídrica. Tal resultado distingue S. camporum de S. pohlii, uma espécie de mata, uma vez que ambas as espécies diminuíram gs durante os dias de maior estresse hídrico. Em contraste a outros estudos, nós propomos que características medidas instantaneamente podem detectar performances não-plásticas aos estresses ambientais, o que auxilia explicar as distintas distribuições geográficas de espécies congenéricas no cerrado (AU)

Processo FAPESP: 09/04113-9 - Desempenho ecofisiológico de Styrax ferrugineus, s. camporum, e s. pohlii (Styracaceae), submetidos à deficiência hídrica em sistema semi controlado
Beneficiário:Eduardo Borges da Veiga
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado