Busca avançada
Ano de início
Entree


Prospecção e bases de formação da demanda e oferta de etanol combustível nos Estados Unidos

Texto completo
Autor(es):
Aline Ishikawa
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade
Data de defesa:
Membros da banca:
Alceu Salles Camargo Júnior; Rudinei Toneto Junior; Abraham Sin Oih Yu
Orientador: Alceu Salles Camargo Júnior
Resumo

Desde o primeiro choque do petróleo, em 1973, os países têm despendido esforços para reduzir sua dependência pelo produto, produzido principalmente em regiões politicamente instáveis. Os Estados Unidos são os maiores consumidores mundiais do combustível, e cerca de 70% são destinados ao transporte. Desde o final da década de 70, o governo americano tem incentivado o uso de etanol como substituto parcial da gasolina. No entanto, o crescimento do biocombustível levantou polêmicas porque a matéria-prima utilizada na sua produção no país é o milho, o que poderia estar afetando a oferta do grão para a produção de alimentos. Dessa forma, foi aprovado em 2007 o RFS2, uma legislação que prevê o consumo mandatório de volumes crescentes de etanol até 2022, mas limita a produção a partir de milho. Os investimentos em pesquisas de combustíveis alternativos passaram a se focar no desenvolvimento de etanol de segunda geração, que utiliza material celulósico como matéria-prima. Sua viabilidade técnica já foi confirmada, mas ainda são necessárias melhorias no processo de produção para que o produto possa ser ofertado em escala comercial. Por outro lado, o Brasil tem uma indústria de etanol madura e também tem feito pesquisas na tecnologia de segunda geração. Se bem sucedida, o país tem planos de exportar o excedente de produção, e os Estados Unidos são um mercado de interesse. O objetivo desta dissertação é auxiliar na avaliação das necessidades de os Estados Unidos importarem etanol de outros países, o que pode criar uma oportunidade para o Brasil. Para isso, foi utilizada a abordagem lógico-intuitiva de construção de cenários - voltada a aspectos qualitativos - para estudar o mercado de etanol combustível nos Estados Unidos até o ano de 2022. A coleta de informações foi feita por meio da revisão bibliográfica, focada em artigos internacionais. A política energética americana e a evolução da tecnologia de segunda geração de etanol foram identificadas como as principais incertezas que devem moldar o futuro do mercado em estudo. A partir delas, foram gerados quatro cenários, nomeados como \"Filho pródigo\", \"Pais esperançosos\", \"Filho independente\" e \"Filho preterido\". Concluiu-se que, enquanto o governo americano continuar incentivando o consumo de etanol, haverá boas oportunidades de exportação do biocombustível brasileiro. Os maiores volumes são esperados em \"Pais esperançosos\". Por outro lado, caso outras alternativas energéticas sejam priorizadas, nossas exportações podem reduzir substancialmente, e o volume comercializado dependerá do preço do nosso produto em relação ao deles e à gasolina. (AU)

Processo FAPESP: 11/16030-0 - Prospecção e bases da formação da demanda por etanol no Brasil e EUA
Beneficiário:Aline Ishikawa
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado