Busca avançada
Ano de início
Entree

Caroline Marcantonio Ferreira

CV Lattes ResearcherID ORCID


Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Diadema. Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas (ICAQF)  (Instituição-sede da última proposta de pesquisa)
País de origem: Brasil

Sou Professora Adjunto da Universidade Federal de São Paulo. Tenho curso de graduação em fisioterapia (Universidade Católica Dom Bosco). Realizei um curso de aprimoramento em Exploração Funcional Pulmonar pelo Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto-USP. Após o aprimoramento, fiz mestrado e doutorado em Fisiologia humana na Universidade de São Paulo e Universidade Federal de Minas Gerais, respectivamente. Durante o período do doutoramento, realizei o Doutorado sanduíche, em Fisiologia, na Northwestern University (2007-2008). Após o doutoramento fiz Pós-doutoramento, em Imunologia, na University of Chicago (2008-2011). A linha de pesquisa do meu laboratório engloba, principalmente, o estudo sobre os mecanismos celulares e moleculares envolvidos na alergia pulmonar e de pele, investigamos também o papel da microbiota intestinal e seus metabólitos na inflamação alérgica. (Fonte: Currículo Lattes)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o(a) pesquisador(a)
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)
Auxílios à pesquisa
Bolsas no país
Apoio FAPESP em números * Quantidades atualizadas em 25/06/2022
Colaboradores mais frequentes em auxílios e bolsas FAPESP
Contate o Pesquisador

Este canal da BV/FAPESP deve ser utilizado tão somente para mensagens, referentes aos projetos científicos financiados pela FAPESP.


 

 

 

 

Palavras-chave utilizadas pelo pesquisador
Videos relacionados aos auxílios à pesquisa e bolsas

SP Pesquisa - Microbiota Intestinal - 1º bloco


O programa mostra pesquisadores que estudam a relação entre as bactérias que habitam os intestinos (a microbiota intestinal) e a saúde das pessoas. A literatura científica sobre pré-bióticos e probióticos aumentou sensivelmente nos últimos 10 anos. E quanto mais os estudos avançam, parece confirmar-se a tese de que a microbiota intestinal pode estar relacionada com muitas doenças humanas. O programa SP Pesquisa visitou dois laboratórios que se dedicam à microbiota: um da Unicamp, que quer entender a relação da microbiota com a obesidade e o diabetes; outro da Unifesp, que fez um levantamento entre a microbiota de crianças de classes sociais diferentes. Os estudos também procuram entender a relação entre a alimentação e a microbiota e ainda, se a injeção de novas bactérias pode combater doenças causadas por outras.

Por favor, reporte erros na informação da página do pesquisador escrevendo para: cdi@fapesp.br.
X

Reporte um problema na página


Detalhes do problema: