Busca avançada
Ano de início
Entree
(Referência obtida automaticamente do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores.)

Uso de medicamentos potencialmente inapropriados por idosos do Município de São Paulo, Brasil: Estudo SABE

Texto completo
Autor(es):
Teresa Cristina Jahn Cassoni ; Ligiana Pires Corona ; Nicolina Silvana Romano-Lieber ; Silvia Regina Secoli ; Yeda Aparecida de Oliveira Duarte ; Maria Lúcia Lebrão
Número total de Autores: 6
Tipo de documento: Artigo Científico
Fonte: Cadernos de Saúde Pública; v. 30, n. 8, p. 1708-1720, Ago. 2014.
Resumo

Alguns medicamentos são considerados impróprios para o idoso, devido a alterações na farmacocinética e farmacodinâmica, por falta de eficácia terapêutica ou por um risco aumentado de efeitos adversos superando seus benefícios. Verificou-se a prevalência do uso de medicamentos potencialmente inapropriados, segundo os critérios de Beers, por idosos do Município de São Paulo, Brasil, participantes do Estudo SABE. Trata-se de um estudo transversal, de base populacional, cuja amostra de 1.254 indivíduos com 60 anos ou mais representava a população idosa do município no ano de 2006. Verificou-se a prevalência de 28% de uso de medicamentos potencialmente inapropriados. No modelo de regressão logística múltipla, as variáveis associadas ao uso foram uso de cinco medicamentos ou mais (p = 0,001), presença de duas ou mais doenças (p = 0,011) e sexo feminino (p = 0,007). Identificou-se o uso de 36 medicamentos potencialmente inapropriados, a maioria de venda sob prescrição. São necessários critérios específicos para a população brasileira e ampla divulgação da farmacologia clínica do idoso. Protocolos ou softwares para prescrição também podem auxiliar a prescrição racional para esse grupo. (AU)

Processo FAPESP: 99/05125-7 - As condições de saúde dos idosos na América Latina e Caribe
Beneficiário:Ruy Laurenti
Linha de fomento: Auxílio à Pesquisa - Regular