Busca avançada
Ano de início
Entree
(Referência obtida automaticamente do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores.)

Relationship among stress, depression, cardiovascular and metabolic changes and physical exercise

Título (Português): Relação entre estresse, depressão, alterações cardiometabólicas e exercício físico
Texto completo
Autor(es):
Andrea Sanches ; Rafaela Costa ; Fernanda Klein Marcondes ; Tatiana Sousa Cunha
Número total de Autores: 4
Tipo de documento: Artigo Científico
Fonte: Fisioter. mov.; v. 29, n. 1, p. 23-36, Mar. 2016.
Resumo

Abstract Introduction: Stress is considered one of the most significant health problems in modern society. It can be characterized as any changes in the homeostasis of an individual that require an adaptive response. An imbalance in the secretion of the primary stress mediators may be responsible for the onset and development of several diseases. Thus, chronic stress has been recognized as a risk factor for depression as well as cardiovascular and metabolic diseases. Given the pathophysiological mechanisms associated with chronic stress and related cardiovascular and metabolic changes, it is necessary to implement measures to prevent, control and/or avoid their development. Physical exercise is a non-pharmacological resource that is widely used for this purpose. Its beneficial effects include the improvement of the emotional state as well as lipid and glycemic control. Objective: The aim of this review is to discuss the relationship between stress, depression, cardiovascular and metabolic changes, and highlight the importance of physical exercise in the prevention and treatment of resulting disorders. Materials and Methods: We searched MEDLINE and SCIELO from 2000 through 2012, using the terms chronic stress, mood disorders, depression, cardiovascular and metabolic changes, and exercise. Results: Most of the studies found in our literature search have shown that exercise can attenuate and/or reverse the deleterious effects of chronic stress. Conclusion: Regular physical exercise is useful for maintaining health, especially with respect to improving mood and mental stress. (AU)

Resumo

Resumo Introdução: O estresse é um dos mais significativos problemas de saúde na sociedade moderna, podendo ser caracterizado como qualquer mudança na homeostase do indivíduo que requer uma resposta adaptativa. O desequilíbrio na produção dos mediadores primários do estresse pode ser responsável pelo surgimento e desenvolvimento de várias doenças. Dessa forma, o estresse crônico tem sido reconhecido como fator de risco para a depressão e doenças cardiometabólicas. Frente aos mecanismos fisiopatológicos associados ao estresse crônico e às alterações cardiometabólicas correlatas, torna-se necessário encontrar medidas adequadas para preveni-las, controlá-las e/ou evitá-las. Sabe-se que o exercício físico é um recurso não-farmacológico amplamente utilizado para essa finalidade e os efeitos benéficos desencadeados incluem melhora do estado emocional e controle lipídico e glicêmico. Objetivo: O objetivo desta revisão foi discutir a relação entre os mecanismos fisiopatológicos do estresse, depressão, alterações cardiometabólicas e a importância da utilização do exercício físico na prevenção e tratamento destas disfunções desencadeadas. Materiais e Métodos: Para esta revisão foram consultadas as bases de dados MEDLINE e SCIELO e inclusos no campo de pesquisa os termos estresse crônico, alterações de humor, depressão, alterações cardíacas e metabólicas e o exercício físico. Como limite de busca, foi definida a pesquisa de artigos publicados entre os anos de 2000 e 2012. Resultados: A maior parte dos estudos mostrou que o exercício é capaz de atenuar e/ou reverter os efeitos deletérios do estresse crônico. Conclusão: A prática regular do exercício físico tem grande utilidade para a manutenção da saúde, sobretudo com relação à melhora do humor e do estresse mental. (AU)

Processo FAPESP: 10/51904-9 - Sistema renina angiotensina e calicreina cininas na hipertensão, obesidade, diabetes, desnutrição e sepses: mecanismos moleculares, celulares e fisiopatológicos
Beneficiário:Dulce Elena Casarini
Linha de fomento: Auxílio à Pesquisa - Temático