Busca avançada
Ano de início
Entree
(Referência obtida automaticamente do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores.)

Programa de Comunicação Alternativa para uma Criança com Paralisia Cerebral e seus Parceiros de Comunicação: um Estudo de Delineamento de Múltiplas Sondagens

Texto completo
Autor(es):
Mariana Gurian MANZINI [1] ; Daniel Marinho Cezar da CRUZ [2] ; Maria Amélia ALMEIDA [3] ; Claudia Maria Simões MARTINEZ [4]
Número total de Autores: 4
Afiliação do(s) autor(es):
[1] Universidade Federal de São Carlos. Programa de Pós-Graduação em Terapia Ocupacional - Brasil
[2] Universidade Federal de São Carlos. Programa de Pós-Graduação em Terapia Ocupacional - Brasil
[3] Universidade Federal de São Carlos. Programa de Pós-Graduação em Terapia Ocupacional
[4] Universidade Federal de São Carlos. Programa de Pós-Graduação em Terapia Ocupacional - Brasil
Número total de Afiliações: 4
Tipo de documento: Artigo Científico
Fonte: Rev. bras. educ. espec.; v. 25, n. 4, p. 553-570, 2019-11-25.
Resumo

RESUMO A Comunicação Suplementar e/ou Alternativa para crianças (CSA) com paralisia cerebral é essencial para o seu envolvimento em diferentes contextos. Assim sendo, o objetivo deste artigo foi verificar os efeitos de um programa individualizado de CSA para uma criança com paralisia cerebral não verbal em três contextos da vida cotidiana: escola, casa e ambientes clínicos. Este estudo utilizou o delineamento experimental de múltiplas sondagens. Os participantes foram uma criança com paralisia cerebral e três parceiros de comunicação em seus respectivos contextos: professor, mãe e terapeuta ocupacional. A intervenção consistiu no processo individualizado de formação teórica e prática dirigida aos parceiros de comunicação e implementação da CSA. Após a implementação do programa de intervenção, os resultados demonstraram que a criança e os parceiros de comunicação usaram com sucesso os recursos da CSA. Os resultados apontam que as estratégias adotadas nos três contextos foram eficazes e proporcionaram aprendizado sobre o uso de CSA para a criança e seus parceiros de comunicação. (AU)