Busca avançada
Ano de início
Entree

Bases fisiológicas para a produção contínua e controlada de alevinos de pirarucu em cativeiro, para sustentar volumes de produção de carne em níveis industriais

Processo: 18/08616-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de dezembro de 2018 - 30 de novembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca - Aquicultura
Pesquisador responsável:Rossana Luiza Leite Venturieri
Beneficiário:Rossana Luiza Leite Venturieri
Empresa:Original Amazon Assessoria Empresarial Ltda
CNAE: Aqüicultura em água doce
Município: São Paulo
Pesq. associados:Renata Guimarães Moreira Whitton
Bolsa(s) vinculada(s):19/01674-1 - Bases fisiológicas para a produção contínua e controlada de alevinos de Pirarucu em cativeiro, para sustentar volumes de produção de carne em níveis industriais, BP.PIPE
Assunto(s):Produção  Fisiologia  Piscicultura  Pirarucu  Criação em cativeiro  Alevinos  Agronegócio 

Resumo

A aquicultura está em franco crescimento no agronegócio brasileiro. Apesar das perspectivas promissoras, ainda é uma atividade jovem e enfrenta uma série de dificuldades de diversos níveis. A produção é centralizada em poucas espécies, notadamente a tilápia, pela dificuldade de contar com pacotes tecnológicos definidos para espécies nativas de grande potencial. O pirarucu é uma delas, tanto pelo desempenho produtivo quanto em qualidade de produtos, com inserção em vários mercados consumidores. O principal entrave no cultivo de pirarucu é a inexistência de um pacote tecnológico que permita a produção continua e controlada de alevinos para sustentar uma produção igualmente continua e mesmo crescente. A produção em cativeiro vem sendo realizada com baixo rendimento e baixo nível tecnológico, com produção de alevinos quando ocorre o período natural de reprodução da espécie e não seguindo um cronograma comercial de entrada e saída de volumes significativos para abate/comercialização. Várias iniciativas têm sido realizadas por parte do SEBRAE e da EMBRAPA, algumas pesquisas seguem em andamento, mas a realidade é que a produção comercial de pirarucu não se desenvolve principalmente pela falta de alevinos de forma contínua, programável e com baixo custo. A dificuldade na obtenção controlada de alevinos se deve em grande parte às particularidades anatômicas e fisiológicas do pirarucu que, por ser um peixe basal na escala filogenética, tem características diferentes dos peixes mais utilizados em piscicultura e o que compromete a adaptação das tecnologias já existentes para outras espécies. Essas particularidades ainda são pouco conhecidas e somente nos últimos anos têm se intensificado os estudos acadêmicos direcionados a essas questões. Identificamos algumas questões importantes cujo conhecimento será fundamental para estabelecer as bases para uma produção continua de alevinos. São elas: 1) Identificação do intervalo de tempo em que uma gônada imatura atinge o estado maduro, sob condições naturais ou induzidas. 2) Suscetibilidade do pirarucu à ação de agentes indutores de maturação e/ou desova. 3) Alterações fisiológicas em larvas e/ou alevinos associadas à transição entre a fase de respiração aquática obrigatória e de respiração aérea obrigatória. O objetivo inovador do estabelecimento dessas bases é manter lotes de animais com gônadas maduras o ano todo e intervir na indução à maturação de animais fora do período reprodutivo natural Além disso, compreender o que ocorre na mudança de fase respiratória, (momento que acarreta expressiva mortalidade de alevinos) para aumentar a sobrevivência das larvas/alevinos A questão (1) será estudada a partir de amostras de ovócitos tomadas a intervalos regulares durante 6 meses, analisadas a fresco e em lâminas histológicas, associadas a esteroides plasmáticos e parâmetros ambientais. A questão (2) será estudada a partir da realização de experimentos de indução hormonal, com o uso de hormônios hipotalâmicos, hipofisários e gonadais. A questão (3) será estudada focalizando o desenvolvimento dos órgãos a partir de amostras de larvas e alevinos, analisadas a fresco e em preparações histológicas. Espera-se que os resultados da pesquisa forneçam os elementos básicos para a produção controlada de alevinos, manutenção de animais em condições de maturidade o ano todo, aumento de sobrevivência de larvas e alevinos, redução expressiva da necessidade de reprodutores e dos custos de produção de alevinos. A principal inovação deste projeto é o desenvolvimento de uma tecnologia de produção que ainda não existe, e que será feita a partir da pesquisa científica sobre a fisiologia do pirarucu. (AU)