Busca avançada
Ano de início
Entree

Receptores fúngicos mediados por glicose regulam o desenvolvimento dependente de luz e produção de toxina

Processo: 18/22040-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2019 - 28 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Convênio/Acordo: University of Bath
Proposta de Mobilidade: SPRINT - Projetos de pesquisa - Mobilidade
Pesquisador responsável:Gustavo Henrique Goldman
Beneficiário:Gustavo Henrique Goldman
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/07870-9 - A influência de proteínas quinases ativadas por mitógenos (MAPK) na expressão de determinantes genéticos importantes para a virulência de Aspergillus fumigatus, AP.TEM
Assunto(s):Toxinas  Fungos  Aspergillus nidulans  Transcriptoma  Receptores acoplados a proteínas-G  Cooperação internacional 

Resumo

Um estudo prévio do transcriptoma de A. nidulans mostrou que três GPCRs (G-protein coupled receptors), gprH, gprI e gprM, foram induzidos durante a starvation para carbono. Consequentemente, nós hipotetizamos que estes três receptores representam mecanismos de sensoreamento de nutrientes que é ativado durante a starvation ao carbono. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Grupo estuda hábitos sexuais de fungos em busca de estratégias para combater espécies nocivas  
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (16 total):
Mais itensMenos itens
Plantão News (MT): Grupo estuda hábitos sexuais de fungos em busca de estratégias para combater espécies nocivas (05/Mar/2020)
Espaço Ecológico no Ar: Grupo estuda hábitos sexuais de fungos em busca de estratégias para combater espécies nocivas (05/Mar/2020)
Revista Analytica online: Como estratégia no combate a espécies nocivas, grupo estuda hábitos sexuais de fungos (05/Mar/2020)
Mundo e Meio: Grupo estuda hábitos sexuais de fungos em busca de estratégias para combater espécies nocivas (05/Mar/2020)
Revista Cultivar Máquinas online: Grupo estuda hábitos sexuais de fungos para combater espécies nocivas (04/Mar/2020)
LabNetwork: Grupo estuda hábitos sexuais de fungos para combater espécies nocivas (04/Mar/2020)
Jornal da Ciência online: 10. Grupo estuda hábitos sexuais de fungos em busca de estratégias para combater espécies nocivas (04/Mar/2020)
Portal da Enfermagem: 10. Grupo estuda hábitos sexuais de fungos em busca de estratégias para combater espécies nocivas (04/Mar/2020)
Brasil CT&I: 10. Grupo estuda hábitos sexuais de fungos em busca de estratégias para combater espécies nocivas (04/Mar/2020)
Bioengineer (Reino Unido): Make fungi think they're starving to stop them having sex, say scientists (28/Out/2019)
University of Bath (Reino Unido): Make fungi think they're starving to stop them having sex, say scientists (28/Out/2019)
Scienmag Science Magazine (Reino Unido): Make Fungi Think They’re Starving To Stop Them Having Sex, Say Scientists (28/Out/2019)
Brightsurf: Make fungi think they're starving to stop them having sex, say scientists (28/Out/2019)
Career Biotech: Make fungi think they're starving to stop them having sex, say scientists (28/Out/2019)
7thSpace: Make fungi think they're starving to stop them having sex, say scientists (28/Out/2019)
Scienstack: Make fungi think they're starving to stop them having sex, say scientists (28/Out/2019)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DOS REIS, THAILA FERNANDA; MELLADO, LAURA; LOHMAR, JESSICA M.; SILVA, LILIAN PEREIRA; ZHOU, JING-JIANG; CALVO, ANA M.; GOLDMAN, GUSTAVO H.; BROWN, NEIL A. GPCR-mediated glucose sensing system regulates light-dependent fungal development and mycotoxin production. PLOS GENETICS, v. 15, n. 10 OCT 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.